UEFA admite suspender aplicação rigorosa do fair-play financeiro

UEFA admite suspender aplicação rigorosa do fair-play financeiro
Redação

Nos próximos dias, todos os clubes envolvidos no processo de licenciamento deverão receber diretivas sobre as novas exigências da UEFA.

As regras do fair-play financeiro serão aplicadas pela UEFA sem retroativo, isto é, as contas dos clubes tal como estavam quando da interrupção das competições pesarão na avaliação futura, mas deve ficar posta de parte, pelo menos durante um ano, a exigência de "break-even", isto é, o imperativo de gastar apenas dentro do limite das receitas.

Significa isto, até para o caso do FC Porto que estava intervencionado pela UEFA, que a aplicação rigorosa do fair-play ficará suspensa por um ano, atendendo aos compromissos assumidos pelos clubes e a perda de receitas generalizada e já inevitável, entre televisão, bilheteiras, patrocínios e, eventualmente, transferências de jogadores.

Também o licenciamento para as próximas edições da Liga e da Liga Europa, já em andamento há meses, sofrerá uma adequação às dificuldades do momento.

Todos os clubes envolvidos no processo deverão receber diretivas sobre as novas exigências da UEFA, após reunião do Comité Executivo da UEFA, na quinta-feira