Processo de Rui Pinto ainda está na Polícia Judiciária

Processo de Rui Pinto ainda está na Polícia Judiciária
Rodrigo Cortez

Rui Pinto responde ao juiz perante seis acusações: duas de acesso ilegítimo, duas de violação de segredo, uma de ofensa a pessoa coletiva e uma de extorsão na forma tentada.

O processo relativo ao pirata informático Rui Pinto ainda se encontra nas mãos da PJ, que esta tarde o vai encaminhar para o DCIAP. Desta entidade judicial transitará depois para o Tribunal de Instrução Criminal, onde será entregue ao juiz de instrução.

Só depois disso Rui Pinto será transportado até ao Campus de Justiça, para ser presente a primeiro interrogatório judicial, perante um juiz, no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa.

O pirata informático de nacionalidade portuguesa foi preso em Budapeste a 16 de Janeiro e extraditado posteriormente para Portugal, onde aterrou na quinta-feira, pernoitando depois nas instalações da PJ, em Lisboa.

Pinto responde ao juiz perante seis acusações: duas de acesso ilegítimo, duas de violação de segredo, uma de ofensa a pessoa coletiva e uma de extorsão na forma tentada.

O arguido pode prestar depoimento, mas também tem o direito de permanecer em silêncio, sendo apenas obrigado a responder a perguntas relativas à sua identificação.

Hoje mesmo, sexta-feira, poderá ficar a conhecer as medidas de coação, que podem ir do termo de identidade e residência à prisão preventiva.