"Perda irreparável": a mensagem da Federação Cabo-Verdiana após a morte de Neno

"Perda irreparável": a mensagem da Federação Cabo-Verdiana após a morte de Neno
Redação com Lusa

O antigo internacional português Neno faleceu na quinta-feira, aos 59 anos, informou o Vitória de Guimarães, clube em que o guarda-redes jogou e foi dirigente.

A Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF) descreveu esta sexta-feira como uma "perda irreparável" a morte, em Portugal, do antigo guarda-redes luso-cabo-verdiano Neno, que chegou a representar aquela seleção africana em 1983.

"É com muito pesar e grande tristeza que a Federação Cabo-verdiana de Futebol tomou conhecimento do falecimento, nesta quinta-feira, em Portugal, do antigo internacional cabo-verdiano, o guarda-redes Neno", refere uma nota de pesar divulgada pela instituição.

O antigo internacional português Neno morreu na quinta-feira, aos 59 anos, informou o Vitória de Guimarães, clube em que o guarda-redes jogou e foi dirigente.

A FCF recorda que Neno representou a seleção de Cabo Verde por duas ocasiões na Taça Amílcar Cabral, em 1983, na Mauritânia.

"Nesta hora de dor vem, mui respeitosamente, a FCF expressar os mais sentidos sentimentos pela perda irreparável de Neno, que esteve em grandes clubes portugueses como o Benfica e o Vitória de Guimarães", acrescenta a nota, assinada pelo presidente da federação, Mário Semedo.

Ainda durante a madrugada de sexta-feira, o Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, mostrou-se "chocado" com a morte do antigo guarda-redes Neno, recordando a "jovialidade" do seu antigo vizinho na Praia.

"Chocado com a notícia da morte de Neno, cabo-verdiano que se notabilizou como guarda-redes do Benfica, do Vitória de Guimarães e da seleção portuguesa de futebol", escreveu Jorge Carlos Fonseca, na sua conta oficial na rede social Facebook.

Horas mais tarde, o chefe de Estado retomou a posição numa declaração oficial à imprensa no Palácio Presidencial.

Assumindo uma "consternação imensa" pela morte de uma "figura de uma simpatia e de uma jovialidade raras", o chefe de Estado cabo-verdiano recordou que Neno, os irmãos e os pais foram seus vizinhos durante "bons anos" na Praia.

"Conheci-o, ele menino, e, depois, cruzámo-nos nalgumas ocasiões, uma das quais no Porto, num evento em que estive já como Presidente da República, e onde ele animou o ambiente cantando como gostava muito de fazer", disse Jorge Carlos Fonseca.

Formado no Barreirense, Neno passou por Vitória de Guimarães, Benfica e Vitória de Setúbal.

Nascido na cidade da Praia, em Cabo Verde, Neno ganhou três campeonatos e três Taças de Portugal pelo Benfica, além de uma Supertaça pelo Vitória de Guimarães.

Ao serviço da seleção portuguesa fez nove encontros, entre 1989 e 1996.