Pedro Proença defende equipas B mesmo com campeonato sub-23 e recorda milhões em negócios

Pedro Proença defende equipas B mesmo com campeonato sub-23 e recorda milhões em negócios
Bruno Fernandes

Presidente da Liga defende que as equipas B e um campeonato sub-23 podem "viver em perfeita harmonia".

Pedro Proença, presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, considerou esta quinta-feira que o campeonato sub-23 e as equipas B "são complementares" e "podem viver em perfeita harmonia".

"As equipas B e o campeonato sub-23 são duas realidades que devem e podem viver em perfeita harmonia. Eu diria mesmo que são complementares. Existem treinadores que manifestaram publicamente que são totalmente a favor da continuidade das equipas bês e da vertente competitiva que uma II Liga oferece", defendeu Proença, que marcou presença no congresso "The Future of Football".

"Portugal, por ter tradição na exportação de talentos e até pela dimensão que tem, não pode dar-se ao luxo de abdicar de mais de 8 mil atletas que encontram dificuldades na transição da formação para as camadas seniores. Manter este espaço sem hipotecar o de outros. O que não invalida que não possa haver uma experiência competitiva de um campeonato sub-23. Manter este espaço sem hipotecar o de outros é a nossa perspetiva: podemos e devemos ter mais uma competição. Da mesma forma, o futebol português não pode abdicar de mais de 375 milhões de euros, número que resulta das transferências de jogadores que passaram pelas equipas B desde 2012. No início desta temporada foram transacionados mais de 132 milhões de euros só com futebolistas que atuaram nas equipas B. São número sintomáticos aos quais devíamos tomar a máxima atenção", apontou.