Proença "atira-se" às diferenças entre futebol e F1: "O mesmo fim de semana..."

Proença "atira-se" às diferenças entre futebol e F1: "O mesmo fim de semana..."
Redação

Presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional recorreu às redes sociais.

Pedro Proença, presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, recorreu este domingo às redes sociais para abordar as restrições colocadas ao futebol quanto ao público nos estádios, em comparação com o número de pessoas presentes no Autódromo Internacional do Algarve, 27500, não cumprindo muitas delas o distanciamento social imposto.

"Dois eventos desportivos. O mesmo fim de semana. O mesmo distrito. Mas são essas as únicas similaridades entre estas duas imagens", começou por dizer na legenda de uma imagem em que se podem ver duas fotografias, uma no Estádio do Algarve, com os adeptos a cumprirem o distanciamento, e outra do Autódromo Internacional do Algarve, no Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1, em que se vê uma grande concentração de pessoas.

"O Farense x Rio Ave disputado hoje, no Estádio do Algarve, em Faro, foi o sexto jogo realizado, esta época, nas competições profissionais com a presença de público na bancadas, a que se juntaram ainda os jogos disputados pela Seleção Nacional e pelo SC Braga na Liga Europa. O resultado destas experiências culminou, sem exceção, no mesmo balanço final: cumprimento escrupuloso de todas as regras sanitárias em vigor (antes, durante ou no final do evento) e comportamento exemplar dos adeptos presentes", continuou, antes de falar do "enorme exemplo" do futebol "para toda a sociedade".

"O futebol continua, tal como acontece desde o inicio deste pandemia, a orgulhar-se em ser um enorme exemplo para toda a sociedade. À esquerda imagem de uma atividade a quem continuam a ser impostas todas as restrições para a presença de público nos seus eventos, apesar das provas dadas nos testes realizados até ao momento. À direita um evento a quem foi dada a possibilidade de receber 27.500 (!!) espectadores, com o resultado que as imagens demonstram. Depois das touradas. Dos concertos. Dos Festivais. E em novembro cá teremos, no mesmo autódromo, outro grande evento de motociclismo...", acrescentou, antes de concluir:

"A saúde pública tem, mais do que nunca, de ser uma prioridade social. E se é verdade que a atividade económica não pode voltar a parar...é também imperativo garantir que a fasquia da organização de eventos (desportivos ou não) neste período é mais alta do que nunca. Sob pena de se misturar no mesmo saco, realidades que, como as imagens demonstram, não aplicam o mesmo grau de autoexigência, nem oferecem o mesmo nível de segurança a quem as atende. Da parte do Futebol Profissional, da Liga Portugal e de todas as nossas Sociedades Desportivas continuaremos, não tenho dúvidas, a ser esse exemplo".