O campeonato sub-23, as equipas B e o Gil Vicente: notas sobre a AG da Liga

O campeonato sub-23, as equipas B e o Gil Vicente: notas sobre a AG da Liga

Sónia Carneiro, diretora executiva da Liga, reiterou que o surgimento de um campeonato sub-23 não vai colidir com relevância da participação das equipas B.

Sónia Carneiro, diretora executiva da LPFP, reiterou que o surgimento de um campeonato sub-23, organizado pela Federação Portuguesa de Futebol, não vai colidir com relevância da participação das equipas B na II Liga.

"A II liga é uma competição profissional e o campeonato sub-23 é uma competição amadora. A II Liga tem ajudado à valorização do jovem jogador português e isso será ainda mais exponenciado com a existência das equipas sub-23. São competições que não colidem, e as entidades organizativas dos campeonatos estão a trabalhar em sintonia para valorizar os jovens jogadores", sublinhou Sónia Carneiro.

Ainda nesta reunião magna, que foi a conclusão da assembleia geral que se realizou em 27 de fevereiro, foi ainda abordado o processo de reintegração do Gil Vicente na I Liga, fruto da decisão judicial. A forma como tal irá acontecer ainda não ficou decidida, mas as sociedades desportivas deram um voto de confiança ao presidente da LPFP, Pedro Proença, para que este encontre a melhor solução possível para a situação, que será discutida numa nova assembleia geral, a realizar em 27 de maio.

As sociedades desportivas representadas esta sexta-feira na assembleia geral da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) aprovaram a redução do número vagas para as equipas B que podem participar na II Liga, passando de seis para cinco. Atualmente, até são cinco as formações B que competem no segundo escalão, mas o regulamento contemplava a existência de seis vagas, devido à presença do Marítimo B, que entretanto desceu aos campeonatos não profissionais. Com esta alteração, que entra já em vigor na próxima temporada, a quota de equipas B na II Liga não pode assim exceder as cinco.

No novo modelo aprovado na reunião que aconteceu na sede do organismo, no Porto, ficou também decidido que a renovação da inscrição destas formações B terá de ser feita de dois em dois anos, em vez do período de três anos que vigorava.

Foi também decidido a distribuição equitativa das verbas provenientes das apostas desportivas por todas as sociedades desportivas que participam nas competições profissionais.

Durante a sessão, na qual participaram todos os clubes à exceção do Santa Clara, o presidente do organismo, Pedro Proença, renovou aos presentes o convite para a segunda Cimeira de Presidentes, que se realizará em 29 de maio, em Coimbra.