"Não pagas, vais-te embora, mas antes chamas a tua mulher aqui", recorda Cajuda

"Não pagas, vais-te embora, mas antes chamas a tua mulher aqui", recorda Cajuda
António Pires

ENTREVISTA - Manuel Cajuda conta como convenceu um jogador a pagar multa

O experiente treinador afirma que é preciso tentar sempre tirar o melhor de cada situação e diz-se feliz por ter treinado muitos jogadores de grande categoria na carreira.

Numa carreira tão longa são certamente abundantes as histórias vividas em estágios. Pode contar-nos alguma inesquecível?

Vou contar uma que serviu de ensinamento, e para as pessoas perceberem que devemos tentar sempre tirar algo de positivo das situações. Uma vez, num estágio, depois do jantar, vieram dizer-me que um jogador tinha metido uma rapariga no quarto. Eu fiquei calado uns quantos minutos e tudo à espera para ver o que ia fazer, se ia desancar no jogador. E de repente saiu-me: "Bem, se meteu uma gaja é melhor do que ter metido um gajo." E não fiz mais nada, não falei com o jogador, não disse mais nada sobre o assunto no clube e, no dia seguinte, como estava previsto, o jogador em causa foi titular.

Mas o assunto não morreu assim, certo?

-Não, passou-se a folga e chamo-o ao meu gabinete no dia seguinte e digo-lhe que vai ser multado em metade do ordenado. Ele, que não sabia que eu estava a par do que acontecera, diz que não paga, que vai fazer queixa ao sindicato... Então, eu só lhe digo: "Tudo bem, não pagas, vais-te embora, mas antes chamas a tua mulher aqui para vir falar comigo." "A minha mulher?", pergunta ele. "Sim, só para lhe dizer que puseste uma gaja no quarto", atiro. De imediato, ele pede: "Não faça isso, eu pago a multa..." A verdade é que ainda hoje sou amigo desse jogador, que fez uma bela carreira, ficou tudo resolvido só entre nós e fiquei com o jogador na mão e até dividi a multa em quatro prestações. Quem foi ou quem foram os melhores jogadores que treinou e porquê?

Treinei vários muito bons e por isso não gosto de individualizar. Passaram pelas minhas mãos jogadores como Barroso, Pepe, Ricardo Rocha, Tiago, Danny, por exemplo. Lancei em Portugal guarda-redes como Quim, Helton, Oblak... E tive a sorte de começar a minha carreira de treinador no Farense tendo na equipa nove internacionais, entre portugueses e estrangeiros. Foram muitos futebolistas com qualidade que fizeram grandes carreiras, para além daqueles que tinham muito talento e não chegaram onde podiam.

Pode dar exemplos desses?

Posso falar em dois jogadores que não chegaram ao topo mas tinham qualidades técnicas para lá chegarem: Rui Esteves e Pedro Estrela. Possuíam enorme talento, mas ter uma técnica individual de topo não chega para ser um futebolista "top". Ainda assim, repito, eram duas pérolas fabulosas.