Lotação dos estádios está dependente da avaliação da DGS

Lotação dos estádios está dependente da avaliação da DGS
António Barroso

Limite máximo cifra-se nos 50 por cento.

António Costa anunciou esta quinta-feira novas medidas no plano de desconfinamento, sem que tenha mencionado a lotação nos recintos desportivos, nomeadamente o futebol, e que neste momento tem como limite 50 por cento da capacidade.

Ao que O JOGO apurou, Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e Liga estão em contacto permanente com a Direção-Geral de Saúde (DGS), sendo que, pelas palavras do primeiro-ministro, será a DGS a definir os limites ou a ausência deles.

Nas medidas apresentadas por António Costa, a presença em grandes eventos desportivos é uma das situações em que se mantém a necessidade de ter um certificado digital. "Caberá à Direção-Geral de Saúde definir o que entende por grandes eventos culturais, desportivos ou corporativos", disse o primeiro-ministro.

Sobre a necessidade do uso de máscara, cuja obrigatoriedade se mantém, entre outros, para "salas de espetáculos e eventos", não foi especificada se nos recintos desportivos continuará a ser obrigatória.