Liga preocupada com "dualidade de aplicação de critérios" dos Delegados de Saúde

Liga preocupada com "dualidade de aplicação de critérios" dos Delegados de Saúde
Redação

Liga Portugal pede uniformidade aos Delegados de Saúde

A Liga Portugal, através de um comunicado publicado esta sexta-feira, pede uniformidade aos Delegados de Saúde. "Perante o aumento de isolamentos profiláticos a serem decretados pelos Delegados de Saúde local, devido a surtos de SARS-CoV 2, a Liga Portugal mostra a sua enorme preocupação pela dualidade de aplicação de critérios, quando, na verdade, a delicadeza da situação exige um elevado grau de uniformidade pelo país, tendo em conta a dispersão geográfica das equipas do Futebol Profissional", pode ler-se logo a abrir o texto publicado no site do organismo.

"Numa fase ainda delicada, devemos todos ter consciência que decisões destas, tomadas isoladamente e sem seguirem orientações gerais, podem comprometer todo o excelente trabalho desenvolvido pela Liga Portugal e pelos Clubes do Futebol Profissional com a Direção-Geral de Saúde e com o Ministério da Saúde, ao longo de todo o processo pandémico", acrescenta a Liga, chamando a atenção para a luta "pela subsistência do Futebol Profissional", realçando que "se não existir sensatez e coerência, corremos o risco de não terminarmos os campeonatos profissionais."

COMUNICADO

"Perante o aumento de isolamentos profiláticos a serem decretados pelos Delegados de Saúde local, devido a surtos de SARS-CoV 2, a Liga Portugal mostra a sua enorme preocupação pela dualidade de aplicação de critérios, quando, na verdade, a delicadeza da situação exige um elevado grau de uniformidade pelo país, tendo em conta a dispersão geográfica das equipas do Futebol Profissional.

Com a vacinação da dose de reforço, para quem tem mais de 18 anos e tomou a Janssen, - o que, no Futebol Profissional, está muito perto dos 100% de inoculação - os plantéis do Futebol Profissional passam a ser abrangidos pelas novas normas emitidas pela Direção-Geral de Saúde, deixando de estar debaixo da norma 015/2020, emitida pela Direção-Geral de Saúde.

Numa fase ainda delicada, devemos todos ter consciência que decisões destas, tomadas isoladamente e sem seguirem orientações gerais, podem comprometer todo o excelente trabalho desenvolvido pela Liga Portugal e pelos Clubes do Futebol Profissional com a Direção-Geral de Saúde e com o Ministério da Saúde, ao longo de todo o processo pandémico. Mas, mais do que isso, temos de lutar pela subsistência do Futebol Profissional e, se não existir sensatez e coerência, corremos o risco de não terminarmos os campeonatos profissionais.

O Futebol Profissional tem sido um exemplo a todos os níveis, não só na cooperação e elaboração de campanhas conjuntas com a DGS, cumprindo o seu papel social no alerta das grandes massas, mas também no dever de responsabilidade para com o país, nomeadamente no que diz respeito aos cuidados, com mais de 22 mil testes efetuados até final de dezembro."