Jamor em dúvida para a final da Taça

Jamor em dúvida para a final da Taça
Sérgio Krithinas

Fernando Gomes pretende que Estádio Nacional se mantenha como palco do último jogo da temporada, mas espera que haja melhoria das condições.

A final da Taça de Portugal poderá, pela primeira vez em 28 anos, disputar-se fora do Estádio Nacional, no Vale do Jamor, Oeiras. A revelação foi feita por Fernando Gomes, presidente da FPF, anunciando que está à espera que o Estado faça obras no recinto que garantam as condições de "comodidade e segurança", tanto para espectadores como para os próprios atletas. Por isso, anunciou uma reunião ja em novembro com o Instituto do Desporto e Juventude para avaliar as condições do local. "Gostaríamos que continuasse a ser lá, mas a segurança e a comodidade estão acima de tudo", revelou o líder federativo, recordando que, na final de 2011/12, foi a própria FPF a assumir o tratamento do relvado "uma semana antes do jogo".

Quanto à competição em si, Gomes explicou que a FPF aumentou as receitas para os clubes das II e III divisões, os primeiros a entrar em competição. Quem estiver na primeira eliminatória recebe 2 000 euros e este valor vai subindo de forma gradual até aos 5 000 euros para quem participar na quarta ronda. "Um clube que chegue lá, acumula um total de 14 mil euros", sublinhou, acrescentado que o bolo total de prémios "subiu de 200 para 700 mil euros" em relação ao ano passado.

O formato da competição poderá sofrer alterações para as próximas temporadas, tendo a FPF até 30 de Abril para fazer as alterações. Fernando Gomes admitiu que gostaria de ver todos os jogos disputarem-se em casa do clube do escalão inferior.