Processo E-Toupeira: Júlio Loureiro garante que não fez "nada"

Processo E-Toupeira: Júlio Loureiro garante que não fez "nada"

Oficial de justiça respeita a decisão do Tribunal da Relação de Lisboa de alterar a decisão instrutória da juíza Ana Peres.

O Tribunal da Relação de Lisboa decidiu não levar a SAD do Benfica a julgamento, no âmbito do processo E-Toupeira, mantendo a decisão instrutória da juíza Ana Peres, do Tribunal Central de Instrução Criminal, mas decidiu pronunciar o oficial de justiça Júlio Loureiro, alterando nesta parte a decisão instrutória da juíza.

Este arguido vai ser julgado pelos seguintes crimes: um crime de corrupção passiva, um crime de favorecimento pessoal, seis crimes de violação de segredo de justiça, 21 crimes de violação de segredo por funcionário, nove crimes de acesso indevido e nove crimes e violação do dever de sigilo.

Depois de ser conhecida a decisão do Tribunal da Relação de Lisboa, Júlio Loureiro, funcionário judicial e ex-observador dos árbitros, disse que respeita a decisão, mas garante não ter feito "nada". "Como tenho dito desde o primeiro dia não fiz nada. Começo a tornar-me repetitivo e por isso não vale a pena continuar com esse discurso. Mais comentários não posso fazer porque o que sei é pela Comunicação Social", afirmou. "Não consigo perceber a razão pela qual terá sido decidido levar-me a julgamento. Vou aguardar serenamente e fazer como se tem de fazer: respeitar a justiça, analisar o que tiver de analisar e decidir o que tenho de fazer", acrescentou.