"Os adeptos do Vitória são mais violentos quando a situação descamba"

"Os adeptos do Vitória são mais violentos quando a situação descamba"

Subcomissário da PSP Filipe Silva falou esta segunda-feira em tribunal, referindo as dificuldades acrescidas sentidas pelas forças de segurança em Guimarães, a propósito das agressões a adeptos do Benfica de que é acusado, em 2015.

O subcomissário da PSP Filipe Silva afirmou esta segunda-feira que o apoio dos adeptos do Vitória de Guimarães ao clube "é digno de um estudo académico", sublinhando que eles são "mais violentos quando a situação descamba para a violência".

"É atípica e notória a ligação quase religiosa dos adeptos ao clube, ao estádio e à cidade", referiu.

Filipe Silva falava no Tribunal de Guimarães, no início do julgamento em que é arguido por agressões à bastonada e ao murro a dois adeptos do Benfica, no final de um jogo de futebol disputado, em 2015, no Estádio D. Afonso Henriques. O arguido sublinhou que já fez policiamentos em vários estádios do país, incluindo Lisboa e Porto, mas "nada se assemelha" ao que acontece em Guimarães.

"Os adeptos [do Vitória] são muito mais aguerridos e muito mais barristas do que noutros estádios, o que faz com que sejam mais violentos quando descamba para a violência", referiu. Filipe Silva tentava, desta forma, explicar as dificuldades acrescidas do policiamento no estádio do clube vimaranense

No processo em julgamento, o subcomissário responde por dois crimes de ofensa à integridade física qualificada. Os factos remontam a 17 de maio de 2015, logo após o final do jogo entre o Vitória e o Benfica, no exterior do Estádio D. Afonso Henriques, em Guimarães.