"No feminino não existem os truques do futebol masculino"

"No feminino não existem os truques do futebol masculino"
Paulo Nunes Teixeira

Treinador do Benfica considera que há muita guerra no futebol nacional e as mulheres estão a dar o mote para a mudança. Isto a propósito do dérbi solidário, em prol de Moçambique.

O dérbi solidário por Moçambique sorriu ao Sporting (1-0), mas à margem do resultado, João Marques destacou a "alteração de pensamento" em relação às mulheres. "Devemos valorizar mais a mulher, porque a desigualdade é muito grande e é com estes pequenos gestos que nos vamos aproximar do futebol masculino. No futebol português falta esta união e o que se passou ao longo desta semana serve de exemplo para o futebol masculino, onde existem muitas guerras e o desporto não é isso. Quem está à frente do futebol em Portugal devia olhar para esta semana e levá-la para o futebol masculino", disse o treinador do Benfica, após uma semana marcada pela união entre os dois grandes rivais, em prol das vítimas do ciclone Idai. João Marques sente que é a pureza do futebol feminino que faz a diferença. "No feminino não existem os truques do futebol masculino e é essa a essência do futebol feminino e do desporto. Foi uma semana de união, ajuda e partilha e vejo o desporto dessa forma. Há muita guerra no futebol português e estamos a dar o exemplo aos outros", referiu.

Quanto ao jogo, João Marques sente que o resultado não traduziu o que se passou em campo. "A minha equipa foi melhor, mais forte, mas mais uma vez a estrelinha não esteve connosco. A estrelinha terá de vir para o nosso lado e na hora das decisões vamos ser felizes", disse, sem esquecer o resultado com o Braga na Taça de Portugal, há uma semana e a arbitragem. "O Benfica é uma equipa de primeira divisão desde o primeiro dia. Fomos constituídos para vencer a Taça e tínhamos de ter uma equipa competitiva. Numa semana houve dois jogos e fatores externos não nos possibilitaram vencer. Jogos com estas equipas são mais difíceis e isso faz com que minha equipa cresça, é pena não jogar semana após semana com equipas destas para crescer e atingir outros patamares", rematou o treinador que lançou duas juvenis nos descontos: Lara Pintassilgo e Kika, internacionais sub-17 que participaram no jogo de apuramento de Portugal para o Europeu, há dois dias. A primeira foi mesmo a autora do golo do triunfo sobre a seleção francesa. "Está a ser difícil gerir isto tudo. Não é o meu primeiro jogo nas seniores, mas não estava à espera de jogar, Ainda somos juvenis e temos muito pela frente, é nestes jogos que vamos aprender", disse Lara. Para Kika, foi a estreia. "Está tudo a acontecer ao mesmo tempo. Foi um fim de semana em cheio", adiantou.

Mais experiente, Pauleta mostrou-se orgulhosa pela causa solidária e "grande jogo de futebol feminino", com novo recorde de assistência (15 204 espectadores). "Gostamos de jogar com o estádio assim e para que vejam que somos iguais aos homens e que proporcionamos o mesmo espetáculo. Trabalhamos para estar no topo e o Benfica foi criado para isso, para ser uma das melhores equipas e conseguir ser a melhor", sublinhou a média, habitual titular.