Liga Revelação arranca no sábado: "É uma espécie de ano zero"

Liga Revelação arranca no sábado: "É uma espécie de ano zero"

José Couceiro, diretor técnico nacional, espera que a nova prova seja "uma plataforma de desenvolvimento do jogador".

A primeira edição da Liga Revelação, dedicada ao escalão sub-23 e que junta 14 equipas, arranca no sábado, pretendendo ser "uma plataforma de desenvolvimento do jogador", aponta o diretor técnico nacional, José Couceiro.

Académica, Cova da Piedade, Aves, Feirense, Estoril, Marítimo, Belenenses, Portimonense, Rio Ave, Benfica, Braga, Sporting, Vitória de Guimarães e Vitória de Setúbal são as equipas que entram em ação este fim de semana na primeira jornada de uma Liga nova organizada pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Em declarações à Lusa, José Couceiro explica que "esta competição nasce da vontade conjunta da federação e dos clubes de criar um novo espaço competitivo, que permita o desenvolvimento dos jovens jogadores portugueses".

"Esperamos que este seja o campeonato em que vão explodir as revelações do futebol português. Diria que o objetivo essencial é criar uma plataforma de desenvolvimento do jogador. Se isso acontecer, poderemos esperar que esses futebolistas comecem a chegar à I Liga, possam estar em algumas seleções nacionais e ser nomes relevantes no mercado, contribuindo para o equilíbrio dos clubes portugueses", descreve o diretor técnico.

São 14 as equipas que decidiram aderir à primeira edição da Liga Revelação, campeonato que terá 26 jornadas, somando-se uma segunda fase, na qual jogarão entre si os seis primeiros classificados até ser encontrado um campeão.

Admitindo que a Liga Revelação será na época 2018/19 uma espécie de "ano zero", o diretor técnico nacional e antigo treinador do Vitória de Setúbal, aponta que "este ano será de intensa análise e diálogo com os clubes", podendo acontecer que em 2019/20 "o quadro competitivo seja diferente, assim como as regras".

Questionado sobre quais as vantagens que pode o futebol português vir a ter com esta aposta da FPF, José Couceiro conta que a federação analisou a quebra de jogadores na passagem de júnior para sénior, sendo que "muitos se perdem nessa idade, por falta de verdadeiras oportunidades e acompanhamentos".

"A Liga Revelação, acreditamos, poderá dar espaço para dezenas de jovens portugueses", afirma Couceiro, sem querer, no entanto, comentar situações concretas de clubes que não aderiram a esta competição, como aconteceu com o FC Porto, nem casos de clubes que decidiram priorizar este campeonato sub-23 face a outras provas, como aconteceu com o Sporting, que anunciou o fim da equipa B, que militava na II Liga e foi entretanto despromovida ao Campeonato de Portugal.

"Acompanhei este processo do lado dos clubes, no Vitória [de Setúbal]. Cada clube tem uma situação particular. Todos analisaram a proposta e fizeram a sua opção. Sei que alguns não entraram por questões apenas infraestruturais, mas que poderão fazê-lo na próxima época. Também houve outros que manifestaram vontade de o fazer, mas a limitação a 14 equipas, um número que me parece adequado, não permitiu que entrassem já", concluiu Couceiro.

O primeiro dérbi da Liga Revelação é já este mês, um Sporting-Benfica à terceira jornada, no dia 28 de agosto, na Academia de Alcochete, Já, na segunda volta, o encontro entre os rivais lisboetas é à 16ª jornada, a 4 de dezembro, no Seixal.