Herói da final não larga a fisioterapia, mas também quer jogar no Casa Pia

Herói da final não larga a fisioterapia, mas também quer jogar no Casa Pia

Dirigentes dos gansos ainda não tomaram a decisão final

Um dos heróis da conquista do título do Campeonato de Portugal pelo Casa Pia, este domingo, chama-se João Coito. Marcou de cabeça os dois golos dos gansos que levaram a partida frente ao Vilafranquense para prolongamento (2-2) e, já no desempate por grandes penalidades, também não falhou dos 11 metros, contribuindo assim para a histórica vitória da equipa lisboeta, por um total de 6-4.

João Coito tem 29 anos, passou pelas camadas de formação do Estrela do Amadora e, depois, também do Benfica. À entrada da idade adulta abdicou de uma carreira promissora no futebol profissional, privilegiando os estudos de fisioterapia, que concluiu. Já nessa profissão, chegou a estar ao serviço da Seleção Nacional.

Agora, a subida dos gansos a um escalão do futebol profissional levam-no a equacionar se conseguirá conciliar um futebol de exigência máxima e a fisioterapia. Ele próprio confidenciou, após a partida de ontem, que era isso que gostava de fazer: continuar como fisioterapeuta e também como futebolista do casa Pia.

"Gostaria de continuar pelo Casa Pia na II Liga, mas sempre dei prioridade ao meu trabalho e agora também não estou disposto a abdicar dele. Eu já disse isso aos dirigentes do Casa Pia e ao meu treinador, por isso, continuo se eles entenderem que o deva fazer. Parece-me que é uma solução que está bem encaminhada, mas vamos ver", afirmava Coito ao lado do treinador Luís Loureiro, na sala de imprensa do Estádio Nacional.

Logo a seguir, Loureiro não foi conclusivo, mas pela expressão facial deixou entender que Coito vai continuar no plantel. "Eu já disse ao João o que penso sobre o assunto, mas agora não é altura para falar disso", disse o treinador.