Premium E se o futebol fosse economia?

António Barroso

Trocar a Secretaria de Estado da Juventude e Desporto por uma tutela vocacionada para as empresas e os negócios é desejo revelado. O JOGO ouviu alguns especialistas sobre essa possibilidade.

"O futebol profissional devia estar sob a tutela do Ministério da Economia." A frase é do presidente da Liga de Clubes, Pedro Proença, proferida num debate em Braga, a 24 de janeiro, e replicava uma ideia exposta na última Cimeira de Presidentes.

Mas o que leva a este desabafo da indústria do futebol profissional? Porque a Federação e a Liga estão, atualmente, sob a tutela do Ministério da Educação/Secretaria de Estado da Juventude e Desporto (SEJD), os dirigentes das sociedades desportivas, obrigados por Lei a gerir as equipas de futebol como empresas, veem-se confrontados com dinâmicas que obrigam a uma grande articulação com realidades afetas ao futebol amador e associativo.