"Há outros fatores que implicam que Ronaldo não jogue tanto"

"Há outros fatores que implicam que Ronaldo não jogue tanto"

ENTREVISTA >> O antigo médio Gilberto Silva revela, a O JOGO, um conhecimento rigoroso de jogadores que lhe permite apostar em Portugal como "uma seleção bem servida" para o Catar.

Vinte anos depois de ter conquistado o Mundial, com Luiz Felipe Scolari ao comando da seleção brasileira, Gilberto Silva esteve em Lisboa há poucos dias com o troféu de campeão do Mundo, depois de ter passado por Kuwait, Bósnia, Montenegro e Albânia, entre outros países. Cabeça de cartaz do World Congress Scouting, que decorreu na quinta-feira, no Porto - cidade onde vai morar, por estar empenhado em trabalhar com a "mental coach" Susana Torres - o antigo médio revela, a O JOGO, um conhecimento rigoroso de jogadores que lhe permite apostar em Portugal como "uma seleção bem servida" para o Catar.

Quem são os grandes candidatos e favoritos à conquista do Mundial do Catar?
-A França entra como candidata por ser a campeã, mas há outras seleções que estão a fazer grandes trabalhos. O Brasil está a viver um bom momento, a Argentina também está a fazer um belo trabalho - é uma equipa a ter em conta -, e Portugal está com uma boa equipa, tem jogadores com qualidade, que atuam em grandes ligas. Estes são candidatos, favoritos é diferente...

O que acha do momento de forma de Ronaldo? Assumiu esta semana que que quer ir ao Mundial e ao Europeu de 2024, quando já terá 39 anos. O Gilberto terminou a carreira com 36. Como é que acha que é possível um jogador aguentar um ritmo alto nessas idades?
-Os jogadores de qualidade sabem como encontrar maneira de se manter em forma. O Cristiano é um jogador de alta performance, que está sempre em busca da excelência, para ele é a última oportunidade de jogar um Mundial, e não vai querer estar de fora. Há, obviamente, outros fatores que implicam que ele não jogue tanto. É uma responsabilidade também para o treinador, é uma situação complexa, mas acredito que o Cristiano vai, com certeza, fazer parte da equipa.

Fica surpreendido ver a forma como o Pepe joga, com 39 anos?
-É o que disse antes. São jogadores de qualidade. Além da força mental que têm, são jogadores que se cuidam, estão sempre focados no que precisam de fazer para renderem bem no campo. Não é surpresa, sinceramente, ver um jogador de qualidade ter essas performances aos 39 anos.

Vitinha foi elogiado pela forma como rapidamente ganhou espaço no PSG e serve um trio de outra galáxia como Neymar, Mbappé, Messi. Tem tudo para ser um dos melhores na posição?
-É um jogador de qualidade. E quando se tem qualidade o que é preciso fazer é continuar a trabalhar no duro. O futebol muda da noite para o dia. É preciso ter todos os cuidados. O bom momento que Vitinha está a viver pode acabar pelo trabalho dos adversários que o observam e fazem tudo para o parar. É importante que ele não caia na zona de conforto.

E que opinião tem de Renato Sanches?
-Pelo que acompanho, o Renato viveu situações de altos e baixos na carreira, está agora numa grande equipa, mas é um grande jogador. Tenho boa imagem da qualidade dele.

Bernardo Silva, Bruno Fernandes, por exemplo, também o encantam?
-O futebol português está muito bem servido, tem uma bela colheita de jogadores. Jovens, com qualidade, competindo nas melhores ligas, acredito que a Seleção vai estar bem servida com esses jogadores.

Fábio Vieira, que está no seu Arsenal, já o conhecia?
-Não o tinha visto aqui no FC Porto, vi o último jogo [triunfo por 3-0 em casa do Brentford] e o grande golo que marcou pelo Arsenal [na estreia a titular], agora vou acompanhar mais.

Não perca a restante entrevista a Gilberto Silva: