Gestifute, de Jorge Mendes, está a ser investigada pelo Ministério Público

Gestifute, de Jorge Mendes, está a ser investigada pelo Ministério Público
Redação

DCIAP assinalou, em comunicado, que as buscas se estenderam, além das SAD's de Braga e V. Guimarães, à firma do super-agente de futebol

A empresa Gestifute, dedicada a agenciar e a negociar futebolistas, liderada pelo empresário Jorge Mendes, está a ser investigada pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal, órgão do Ministério Público. A informação foi avançada inicialmente pelo "Correio da Manhã" e confirmada por fonte policial à Lusa.

Esta investigação está associada às "dezenas de buscas domiciliários e não domiciliários" por suspeitas de negócios simulados entre clubes e terceiros, cifrados em cerca de 15 milhões de euros, que originaram buscas no seio de Braga e V. Guimarães.

Uma fonte da PSP disse à Lusa que a força policial esteve, esta quarta-feira, a fazer investigações, juntamente com a Autoridade Tributária (AT), na SAD do Braga e do Guimarães, bem como nas instalações da Gestifute, liderada por Jorge Mendes, empresa de gestão de carreiras de profissionais desportivos.

O MP refere que as diligências foram ordenadas após análise de material apreendido nas buscas realizadas em março de 2020, em operação designada de "Fora de Jogo", e que "os factos em investigação são suscetíveis de integrarem crimes de fraude fiscal, fraude à segurança social e branqueamento de capitais".

A fonte policial acrescentou, à Lusa, que participam um magistrado judicial, cinco magistrados do MP, 40 efetivos da Autoridade Tributária (AT) e cerca de meia centena de militares da Unidade de Ação Fiscal da Guarda Nacional Republicana (GNR) nas diligências.