Caso e-Toupeira: Ministério Público mandou PSP espiar jornalistas

Caso e-Toupeira: Ministério Público mandou PSP espiar jornalistas
Redação

Em causa, a operação E-toupeira, com as vigilâncias a visarem Henrique Machado e Carlos Rodrigues Lima, editor de justiça da TVI e o subdiretor da revista Sábado, respetivamente.

Uma procuradora do Ministério Público de Lisboa ordenou à PSP que a operação de vigilância a dois jornalistas durante dois meses, com registo fotográfico, com o intuito de entender com que fontes de informação se relacionavam, revelou esta noite de terça-feira a TVI.

Em causa, a operação E-toupeira, com as vigilâncias a visarem Henrique Machado e Carlos Rodrigues Lima, editor de justiça da TVI e o subdiretor da revista Sábado, respetivamente. A vigilância ocorreu na via pública - entre abril e maio de 2018 - após a ordem dada pela magistrada Andrea Marques, no âmbito de uma investigação por violação de segredo de justiça.

A procuradora justifica no processo esta ação, nunca vista em Portugal, "por se suspeitar que os jornalistas em causa mantinham um contacto próximo e regular com agentes policiais ou do universo dos tribunais".

Segundo a TVI, a procuradora entendeu que a fuga de informação estava na Polícia Judiciária e avançou com buscas à sede da PJ, apreendendo o correio eletrónico da direção nacional da PJ e da unidade nacional de combate à corrupção. Assim como os registos de chamadas telefónicas de altos responsáveis da PJ. Al ém disso, foi quebrado o sigilo bancário do jornalista Carlos Lima, à procura de contrapartidas financeiras.