Boavista surpreende Marítimo nos Barreiros

Boavista surpreende Marítimo nos Barreiros

Vitória clara dos axadrezados, que assim voltam a respirar na classificação

O Boavista voltou esta sexta-feira às vitórias, ao triunfar na casa do Marítimo por 3-0, no jogo que abriu a 26.ª jornada da I Liga.

Um bis de Zé Manuel (73 e 83 minutos) e outro golo de Anderson Carvalho (58) encerraram uma série de três derrotas consecutivas e retiram os axadrezados da zona de despromoção, ainda que de forma provisória, pois a Académica ainda vai jogar.

Já o Marítimo voltou a perder ao fim de quatro jogos e pode vir a ser ultrapassado por várias equipas nesta jornada.

O Boavista começou melhor na partida, jogando a maioria da primeira parte na área insular, e com algumas ameaças à baliza de Salin.

O guarda-redes francês defendeu um remate de José Manuel logo aos sete minutos e ainda viu as tentativas de Renato Santos (20) e Rúben Ribeiro (30) passarem por cima do alvo.

Com claras dificuldades na construção de jogo e em criar situações de golo, foi preciso esperar 40 minutos para ver um remate do Marítimo, com João Diogo a acertar na malha lateral após passe de Ghazaryan.

O Marítimo deu uma boa resposta no início da segunda parte, com mais circulação de bola, mas ainda com problemas na definição dos lances de ataque.

A resposta axadrezada foi eficaz pois, aos 58 minutos, num lance de contra-ataque, José Manuel lançou Anderson Carvalho em velocidade e o brasileiro, sozinho perante Salin, inaugurou o marcador num remate colocado.

Nelo Vingada apostou tudo, colocando Alex Soares, Donald Djousse e Gevaro, mas o golo dos forasteiros abalou a equipa, que não se conseguia encontrar em campo.

Mais calmo e organizado, o Boavista voltou a marcar, aos 73 minutos, num lance em que Patrick perdeu a bola na grande área para Tahar, que assistiu José Manuel, finalizando com um remate rasteiro.

Dez minutos depois, fotocópia do primeiro golo, com os mesmos intervenientes, desta feita José Manuel a ficar isolado, após passe de Anderson Carvalho, fintou Salin e bisou na partida.

Até final, o melhor que o Marítimo conseguiu foram os dois únicos remates à baliza, primeiro por Ghazaryan (87) e depois por Alex Soares (90+2), ambos defendidos por Mika.