Assembleia Geral da FPF: apreciação para retirar título a Coroado foi adiada

Assembleia Geral da FPF: apreciação para retirar título a Coroado foi adiada
Redação

Não estavam reunidos os requisitos estatutários, segundo José Luís Arnaut, presidente da Mesa da Assembleia Geral.

A apreciação de uma proposta da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF) e da Associação de Futebol de Évora para retirar a distinção de sócio de mérito a Jorge Coroado foi adiada, segundo informou a Federação Portuguesa de Futebol após a Assembleia Geral realizada esta segunda-feira.

Segundo José Luís Arnaut, presidente da Mesa da AG, "uma votação que visa uma pessoa requer voto secreto. Atendendo a essa impossibilidade devido à situação que vivemos, originada pela pandemia, e não estando reunidos os requisitos estatutários, a votação é adiada", surge citado no site oficial da FPF.

Em causa está a apreciação que o ex-árbitro fez ao trabalho de Luís Godinho, no Braga-FC Porto da época passada, nomeadamente no juízo ao lance entre David Carmo e Luis Díaz, resultando na expulsão deste último. "Hélder Malheiro foi para a jarra depois do Bessa. Para este o sítio adequado é a ETAR", escreveu, no Tribunal de O JOGO. O comentário já tinha, inclusive, valido uma queixa na ERC, que foi arquivada.

Jorge Coroado, por seu lado, entende que exerceu o seu direito de opinião, atendendo ao lance em questão e não à personalidade do árbitro.

Ainda no que toca à AG, foram ratificados os regulamentos de Arbitragem e de Disciplina da Liga Portugal para a época 2021/22. "As alterações ao Regulamento Disciplinar das competições organizadas pela Liga, que tinham sido aprovadas em Assembleia da LPFP do dia 2 de junho, foram ratificadas pela AG da FPF com 55 votos a favor e 11 abstenções. O Regulamento de Arbitragem, igualmente já aprovado em AG da Liga, foi também ratificado pela Assembleia da FPF com 61 votos favoráveis e cinco abstenções", informou a FPF.