Questão do número de títulos: Assembleia Geral da FPF mantém tudo como está

FC Porto conquistou o troféu de campeão em 2021/22

 foto Pedro Correia/Global Imagens

Três pareceres estavam em votação na Assembleia Geral Extraordinária da FPF, mas a maioria optou não enveredar por nenhum deles.

Afinal, fica tudo como está. A Assembleia Geral Extraordinária da FPF, reunida esta quarta-feira, optou por não aprovar nenhum dos três pareceres sobre a questão do número de títulos, optando por manter tudo na mesma. Recorde-se que esta foi uma batalha do Sporting, num assunto que, em 19 de janeiro de 2019, foi debatido na Assembleia da República (AR), tendo os vários grupos parlamentares considerado que o reconhecimento das edições do Campeonato de Portugal realizadas entre 1922 e 1938 é matéria, dada a sua especificidade, da competência da FPF.

O tema foi levado a debate na sessão plenária na AR sob a forma de uma petição liderada por Alexandre Silva Almeida, com 4.470 subscritores, que pretendia ver reconhecidos como títulos de campeão nacional as 17 edições do Campeonato de Portugal.

Os leões, que venceram o Campeonato de Portugal em 1922/23, 1933/34, 1935/36 e 1937/38, defendiam o reconhecimento destes títulos como de campeão nacional, tendo feito chegar o parecer de Diogo Ramada Curto e Bernardo Pinto da Cruz à Mesa da AG da FPF para discussão.

Esta competição foi ainda vencida quatro vezes pelo FC Porto (1921/22, 1924,25, 1931/32 2 1936/37), três pelo Benfica (1929/30, 1930/31 e 1934/35) e pelo Belenenses (1926/27, 1928/29 e 1932/33) e uma pelo Olhanense (1923/24), pelo Marítimo (1925/26) e pelo Carcavelinhos (1927/28).

Já o Campeonato da Liga, ou Liga Experimental, foi vencido três vezes pelo Benfica (1935/36, 1936/37 e 1937/38), depois da conquista do FC Porto no ano de estreia (1934/35).

Eis a votação:

Parecer 1 - 13
Parecer 2 - 1
Parecer 3 - 8
Nenhum dos três - 33
Abstenção -7

As épocas que estavam em questão:

Campeonato Portugal

1937-1938 Sporting
1936-1937 FC Porto
1935-1936 Sporting
1934-1935 Benfica
1933-1934 Sporting
1932-1933 Belenenses
1931-1932 FC Porto
1930-1931 Benfica
1929-1930 Benfica
1928-1929 Belenenses
1927-1928 Carcavelinhos
1926-1927 Belenenses
1925-1926 Marítimo
1924-1925 FC Porto
1923-1924 Olhanense
1922-1923 Sporting
1921-1922 FC Porto

Campeonato da Liga

1937/1938 Benfica
1936/1937 Benfica
1935/1936 Benfica
1934/1935 Porto

O que defendiam os diferentes pareceres

Parecer 1
-Amândio J. M. Barros, Manuel A. Janeira e Ricardo C. Pereira (todos indicados pela Universidade do Porto) e Sílvia A. C. Alves (da Universidade de Lisboa)

-Os vencedores do antigo Campeonato de Portugal devem ser reconhecidos, até 1934, como campeões legítimos, o que acrescentaria mais três títulos a FC Porto e Belenenses, mais dois a Benfica e Sporting e faria de Olhanense, Carcavelinhos e Marítimo campeões a estrear. Ainda segundo este estudo, o Campeonato de Portugal passaria a ser encarado como antecessor da Taça de Portugal (com os respetivos reflexos neste somatório específico) a partir da época 1934-35, ano do arranque da outra competição, o Campeonato das Liga.

-Campeonatos Nacionais: 39 do Benfica (mais dois), 33 do FC Porto (mais três), 21 do Sporting (mais dois), quatro d' Os Belenenses (mais três), um do Boavista, um do Carcavelinhos (mais um), um do Olhanense (mais um) e um do Marítimo (mais um);

-Taças de Portugal: 27 do Benfica (mais uma), 19 do Sporting (mais duas), 19 do FC Porto (mais uma), cinco do Boavista, três do Braga, três do V. Setúbal, três d' Os Belenenses, duas da Académica, uma do Beira-Mar, uma do Leixões, uma do V. Guimarães, uma do Estrela e uma do Aves.

Parecer 2
-Por Francisco Pinheiro, nomeado pela Universidade de Coimbra

-O Campeonato de Portugal deve ser encarado, desde a raiz, como antecessor da Taça de Portugal, pelo que, no que respeita a títulos de campeão, só os do antigo Campeonato da Liga (ou Liga Experimental) devem ser considerados para o efeito (e já o são, na atualidade). Ou seja, neste segundo parecer, Olhanense, Carcavelinhos e Marítimo, por exemplo, deixam de ser campeões, mas passam a ter uma Taça de Portugal.

-Campeonatos Nacionais: 37 do Benfica, 30 do FC Porto, 19 do Sporting, um do Belenenses e um do Boavista;

-Taças de Portugal: 29 do Benfica (mais três), 22 do FC Porto (mais quatro), 21 do Sporting (mais quatro), seis do Belenenses (mais três), cinco do Boavista, três do Braga, três do V. Setúbal, duas da Académica, uma do Beira-Mar, uma do Leixões, uma do V. Guimarães, uma do Estrela, uma do Aves, uma do Carcavelinhos (mais uma), uma do Olhanense (mais uma) e uma do Marítimo (mais uma).

Parecer 3 (do Sporting)
-Subscrito por Diogo Ramada Curto e Bernardo Pinto da Cruz.

-Defende apenas a legitimidade dos títulos do Campeonato de Portugal, mesmo no período de coexistência com o Campeonato da Liga. Nesse caso, o Sporting teria mais quatro campeonatos, o FC Porto mais três e o Benfica mantinha os mesmos. Mas nesta listagem Belenenses, Carcavelinhos, Olhanense e Marítimo também seriam campeões legítimos. Um estatuto que, em contrapartida, deveria ser retirado aos clubes que ganharam a Liga Experimental (LE), entre 1934 e 1938.

-Campeonatos Nacionais: 37 do Benfica, 33 do FC Porto (mais três), 23 do Sporting (mais quatro), quatro do Belenenses (mais três), um do Boavista, um do Carcavelinhos (mais um), um do Olhanense (mais um) e um do Marítimo (mais um).