"Acabar com domínio de quem compra a granel"

"Acabar com domínio de quem compra a granel"
Pedro Miguel Azevedo

Presidente anuncia fim da era de "Melgarejos, Caballeros, Abdoulayes, Jaras e outros"

Para Rui Alves, autor da proposta que impede empréstimos no mesmo escalão, o objetivo é valorizar os jogadores portugueses, contrariando os clubes financeiramente mais ricos e que abusam do mercado estrangeiro.

"Foi uma derrota dos projetos aglutinadores de alguns grandes clubes. Com esta medida, trava-se a tentativa de domínio de clubes que, devido à maior capacidade financeira, compram sul-americanos a granel. Depois, os atletas portugueses veem a sua carreira prejudicada e são impedidos de se desenvolver. Esta medida vem libertar o jogador português", assegura Rui Alves a O JOGO.

Aliás, o dirigente fala de uma "nova era". "A II Liga vai melhorar imenso, com os jogadores a deixarem de ser escravos. Pode ser que deixe de haver Melgarejos, Caballeros, Abdoulayes, Jaras e outros", ataca, sem nunca nomear... Benfica ou FC Porto.

Rui Alves entende que este foi "um grande passo rumo ao aumento da qualidade e da integridade das provas": "Uma equipa da I Liga tem de ter um projeto próprio. Há que acabar de vez com espetáculos como o do Leiria na época passada." A terminar, o líder do Nacional reforça que clubes como o seu têm sido prejudicados. "O sistema antigo é concorrência desleal para com quem não quer ser barriga de aluguer e até condiciona situações na Liga", acrescenta sem pormenorizar.