Zé Pedro Cerqueira destaca-se no Länk Vilaverdense: "Estive dois anos parado com duas roturas dos ligamentos"

Zé Pedro Cerqueira destaca-se no Länk Vilaverdense: "Estive dois anos parado com duas roturas dos ligamentos"

Zé Pedro voltou esta temporada e frente ao Paredes deu a primeira vitória na fase de subida. Refere ter encontrado o clube "melhor"

Foi com um golo de Zé Pedro Cerqueira que o Länk Vilaverdense somou a primeira vitória na fase de subida - zona norte. A perder com o Paredes desde os 28", André Soares empatou aos 33" e Zé Pedro consumou uma reviravolta "muito importante" que mantém os minhotos colados aos lugares de subida. "Não era decisivo, mas era importante para não ficarmos a alguma distância dos primeiros lugares", comenta. O atacante, 29 anos, já tinha jogado no Vilaverdense em 2017/18 e voltou esta temporada, seduzido pelo investimento do grupo canadiano Länk. "O clube melhorou imenso. Está mais organizado, as condições melhoraram e há cada vez mais recursos humanos. Com o apoio que temos, as coisas ficam facilitadas", observa.

Fez duas épocas na II Liga, quando jogou no Académico de Viseu entre 2015 e 2017, contudo, assegura, a diferença para o CdP não é assim tanta. "Tenho tido bons projetos. Esta época, fiz força para vir para Vila Verde, porque fiquei com um carinho especial pelo clube, quando cá estive. Estivemos perto de subir, fomos longe na Taça, e gosto das pessoas. Claro que é melhor estar na Liga SABSEG, contudo a diferença não é tão grande como possam imaginar. O Vilaverdense não fica nada atrás de equipas da II Liga", assegura.

Com apenas três empates e duas derrotas em 18 jogos na primeira fase, Zé Pedro reconhece que o Länk pode ser encarado como "favorito" nesta etapa de promoção, porém, destaca o equilíbrio existente: "O nosso projeto é para subir e podem considerar-nos favoritos, mas estamos a verificar um grande equilíbrio". Para trás ficou um passado de lesões, que o atormentou no início da carreira sénior. "Estive praticamente dois anos parado, com duas roturas do ligamento cruzado, uma atrás da outra, quando tinha 20/21 anos. Não foi fácil reerguer-me, sempre tive o sonho de ser profissional e foi necessária muita força de vontade", lembrou.