Uma história no Campeonato de Portugal: treinador invicto, mas despromovido

Uma história no Campeonato de Portugal: treinador invicto, mas despromovido

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Cláudia Oliveira

Tópicos

Manuel Monteiro assumiu o clube a onze jornadas do fim, já abaixo da linha de água

Manuel Monteiro é um treinador com um percurso peculiar. Na época 2017/18 passou por dois clubes e em nenhum deles perdeu jogos para o campeonato. Ainda assim, o final da época do treinador invencível termina com a descida do Salgueiros, ainda antes do derradeiro jogo da prova.

"É triste, porque descemos de divisão; o objetivo não foi conseguido. Ainda estou um bocado na lua. Vi jogadores a chorar e isso tocou-me muito", conta o treinador de 50 anos.

Trocou o Fafe, da Série A do Campeonato de Portugal (onde também não perdeu qualquer jogo), pelo Salgueiros e fez tudo o que estava ao seu alcance para salvar o histórico do futebol nacional da descida aos distritais: em dez jogos realizados, venceu cinco e empatou outros tantos. Sob a sua batuta, a equipa marcou 12 golos e sofreu apenas quatro. "Os meus jogadores foram excelentes e focados no objetivo, a massa adepta foi incansável", considera.

Para conseguir a permanência, Manuel Monteiro apostou em fazer com que a equipa não sofresse golos, e o treinador entende que foram os empates a zero com o Aliança da Gandra - "Foi um jogo de falta de sorte, a bola não quis entrar" - e com o Pedras Rubras que podiam ter evitado a descida.

"Às vezes não se olha para estes marcos, só para a classificação final. Foi muito bom trabalhar com estes jogadores. Nenhuma equipa foi melhor que o Salgueiros. Fica um amargo de boca." Sobre o futuro, o técnico ainda não decidiu, embora saiba que, da parte do clube, "poderá haver interesse". "Ainda não pensei; só depois do jogo que falta pensarei no futuro. Quero acabar bem o campeonato e dar uma boa imagem, porque este grupo e os adeptos merecem", elogia.