SAD do Aves estuda fusão com Perafita e transição para Matosinhos

SAD do Aves estuda fusão com Perafita e transição para Matosinhos
Redação com Lusa

Tópicos

A SAD do Aves foi autorizada a usar as instalações do Perafita para arrancar esta sexta-feira os trabalhos de pré-época com 17 jogadores, sob orientação de Paulo Gentil

A SAD do Aves equaciona a fusão com o Perafita e a transição do concelho de Santo Tirso para o estádio do clube de Matosinhos. O Aves vai ter de disputar o Campeonato de Portugal por incumprimento do fair play financeiro, que inviabilizou a participação na II Liga.

Segundo Estrela Costa, acionista da SAD, em declarações à Lusa, "o futuro desta administração passa por quebrar o protocolo com o Clube Desportivo das Aves e estabelecer uma fusão com outro clube a longo prazo". "Se for o Perafita, excelente. Nesta fase temos o uso das instalações deles quase protocolado e só falta a assinatura de uma das partes", acrescentou.

Os sócios do Perafita reúnem-se em 21 de setembro em assembleia geral extraordinária para finalizar a receção de candidaturas às eleições dos órgãos sociais e discutir a constituição do plantel sénior em 2020/21, que integra a I Divisão distrital da AF Porto e tem estreia prevista para 11 de outubro, na casa de Os Lusitanos.

"Dou-me bem com a administradora, houve conversas com a SAD do Aves e as coisas estão encaminhadas, mas ainda não está nada assinado. Na próxima semana poderá haver novidades. Gostava que o Perafita continuasse a ter seniores, mas alguns sócios estão a insurgir-se contra isso", partilhou à Lusa Pedro Vaz, líder do Perafita.

A SAD do Aves foi autorizada a usar as instalações do Perafita para arrancar hoje os trabalhos de pré-época com 17 jogadores, sob orientação de Paulo Gentil, quando faltam nove dias para a deslocação ao terreno do Berço, em encontro da jornada inaugural da Série B do Campeonato de Portugal.

A fusão dos dois emblemas e a apresentação da nova identidade visual estão pendentes da deliberação do Tribunal da Comarca de Santo Tirso sobre as ações de destituição e despejo da administração da SAD liderada pelo chinês Wei Zhao, que foram solicitadas pela direção do clube presidida por António Freitas.

A SAD do Aves registou sucessivos incumprimentos salariais ao longo da última temporada e consumou no relvado a descida à II Liga, tendo reprovado os requisitos de licenciamento das provas profissionais de 2020/21 junto da Liga e dispensado o recurso para o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol.

A despromoção na secretaria ao Campeonato de Portugal e tem sido acompanhada pelo administrador judicial provisório António Dias Seabra e a SAD já que beneficiou de um Processo Especial de Revitalização (PER), cuja lista provisória de pagamentos reparte dívidas totais de 17,1 milhões de euros por 110 credores.

A viabilização desse instrumento permitiu à SAD do Aves participar nos sorteios da fase regular do Campeonato de Portugal e da primeira ronda da Taça de Portugal, que trará a visita ao FC Felgueiras 1932, em 27 de setembro, enquanto o clube se prepara para competir na II Divisão distrital da Associação de Futebol do Porto.