Ricardo Estrelado: "Estágio com o Fulham deu-me mais confiança"

Ricardo Estrelado: "Estágio com o Fulham deu-me mais confiança"
Hélio Nascimento

Tópicos

Treinador do Coruchense passou uma semana com Marco Silva e todo o staff da equipa técnica dos ingleses, e, satisfeito, diz que o que viu "vai de encontro ao que faço".

Ricardo Estrelado admite que vai partir "mais confiante" para a próxima época, ao serviço do Coruchense, depois de ter acompanhado durante uma semana os trabalhos do Fulham de Marco Silva, no estágio que decorreu em Tróia. "Foi imensamente proveitoso. Para além do que presenciei, tive acesso a todos os dados dos treinos, às medições aos jogadores e ao trabalho desenvolvido nos bastidores. A partilha foi total e no final de cada sessão trocava ideias com o Marco sobre o que tinha sido feito", conta o treinador, de 45 anos.

"Fiquei ainda mais confiante a nível pessoal, é verdade, pois o que vi vai de encontro ao que faço. Ou seja, a troca de conhecimentos foi excelente e senti que não ando assim tão longe", regozija-se o técnico, que já orientou Beira Mar de Almada - foi campeão da II Divisão da Associação de Futebol de Setúbal, aos 29 anos -, Cova da Piedade, Oriental Dragon e Pinhalnovense. Agora, vai iniciar a segunda temporada em Coruche - na época passada foi sétimo classificado na Série E -, disputando o Campeonato de Portugal.

"Sem presunção, os treinadores portugueses estão cada vez melhor preparados, e a experiência, é óbvio, vai sendo adquirida", prossegue Ricardo, grato ao amigo Marco Silva e a toda a equipa técnica - um staff com 16 elementos - do Fulham, o clube inglês que, como se sabe, regressou à Premier League.

Para esta temporada, o Coruchense passou por uma grande transformação, mantendo apenas sete jogadores da campanha transata. "Dentro do nosso orçamento, que é limitado e dos mais baixos do Campeonato de Portugal, já dispomos de um grupo de cerca de 20 unidades. A linha condutora assenta numa base jovem, de atletas entre os 19 e os 21 anos, à qual se junta a experiência dos que já cá estavam. O objetivo é a permanência, e nem temos, à partida, hipóteses de aspirar a mais, muito embora não nos falte ambição".