Presidente do Anadia espera suspensão de Luís Reforço "para o resto da vida"

Presidente do Anadia espera suspensão de Luís Reforço "para o resto da vida"

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Líder do clube da série C do Campeonato de Portugal pede pena pesada para árbitro da AF Setúbal

Vasco Oliveira, presidente do Anadia, pretende que Luís Reforço deixe a arbitragem em definitivo depois do "espectáculo demasiado pobre" que protagonizou este domingo em Torres Vedras, no jogo em que o Torreense venceu o Anadia por 2-1. "Espero que o árbitro seja suspenso para o resto da vida. Já fez erros a mais neste e noutros jogos anteriores", afirmou Vasco Oliveira quando foi confrontado sobre a reunião de carácter de urgência que o árbitro da AF Setúbal vai ter com o Conselho de Arbitragem. O dirigente deseja, por outro lado, que "despenalizem os jogadores que foram expulsos", mais concretamente o capitão Tiago Borges e Michael dos Santos.

O dirigente ficou incrédulo com a atuação do árbitro de 45 anos que esteve quatro épocas na I Liga (dois jogos em 2000/01, três em 2007/08, oito em 2008/09 e sete em 2009/10).

"O árbitro parecia um louco, uma pessoa maluca, que não estava em si. Não faz sentido o que ele fez após o nosso golo. Expulsou o nosso capitão, o Tiago Borges, que não fez nada para isso, e expulsou o Michael dos Santos, dizendo que fez penálti mas ele não fez falta nenhuma para penálti! No penálti mandou repetir duas vezes porque queria à força toda que fosse golo e o nosso guarda-redes, Alexandre Verdade, quase defendia o terceiro penálti. E se defendesse, se calhar, mandava repeti-lo outra vez", observou.

Vasco Oliveira adiantou que depois do empate "foi o continuar das coisas até o Torreense marcar o segundo golo". "A partir daí enganou-nos com faltas a favor do Anadia", descreveu o presidente do Anadia, contando que "as pessoas que estavam na bancada, ligadas ao Torreense, riam-se do espetáculo que ele estava a dar, porque de facto era demasiado pobre". Vasco Oliveira adiantou que não viu os últimos dez minutos do jogo porque "já não aguentava mais". "Não consegui ver mais o jogo e fui para o autocarro", completou