"Ou ficávamos à espera de perder tudo ou íamos atrás de uma solução"

"Ou ficávamos à espera de perder tudo ou íamos atrás de uma solução"

Um Fundo de Investimento será detentor de oitenta por cento do capital da SAD do Trofense.

O Trofense esteve reunido em Assembleia Geral e aprovou a criação de uma SAD e os termos da sua constituição. E com uma inquestionável vontade dos cerca de oitenta sócios expressa na votação, que registou apenas um voto contra e uma abstenção.

Um Fundo de Investimento será detentor de oitenta por cento do capital da sociedade desportiva e o clube dos restantes vinte. O processo já está em marcha e em breve ficará concluído, altura em que serão indigitados dois administradores por parte do investidor e um pelo clube.

Franco Couto, presidente do Trofense, aludiu à dinâmica empresarial que nesta altura envolve o futebol para explicar que era "inevitável a constituição de uma SAD". "Durante dois anos fizemos um grande esforço para sanear financeiramente o clube, mas o volume de dívidas do passado - e não só as dos PER do clube e da SDUQ - e os poucos apoios que recebemos inviabilizaram a nossa intenção. Por isso, ou ficávamos à espera da insolvência e de perder tudo ou íamos atrás de uma solução. Foi o que fizemos", esclareceu o dirigente do emblema da Série B do Campeonato de Portugal.

Por outro lado, Franco Couto é um dos líderes da comissão que representa os 72 clubes do CdP que tem tentado sensibilizar a FPF para algumas mudanças, não só no atual quadro competitivo como na redução do valor das inscrições, das multas, etc. "Nas reuniões que temos tido, quer com o presidente Fernando Gomes, quer com Hermínio Loureiro, José Couceiro, Luís Dias ou Carlos Lucas, sinto que há em todos eles muita vontade em nos ajudar. E como são pessoas com muita qualidade e uma enorme capacidade de trabalho não tenho dúvidas que vão encontrar a melhor solução para todos", concluiu.