"O árbitro foi agredido com um murro e empurrado pelas escadas abaixo"

"O árbitro foi agredido com um murro e empurrado pelas escadas abaixo"

São Lourenço do Douro apresentou a sua versão dos acontecimentos no jogo com o São Pedro da Cova, interrompido por falta de condições de segurança.

O São Lourenço do Douro emitiu esta quinta-feira uma nota de esclarecimento a propósito do encontro com o São Pedro da Cova, da Taça AF Porto, interrompido ao minuto 60 depois de o árbitro considerar que não estavam reunidas as condições de segurança.

O juiz deu a partida como terminada e, quando se dirigia para os balneários, foi agredido a soco. "Vimos por este meio esclarecer que o Jogo de ontem entre o S. Lourenço do Douro e o S. Pedro da Cova foi interrompido por desacatos alheios ao nosso clube. Informamos também que devido à impossibilidade da presença policial neste jogo, facto alheio ao nosso clube, a segurança do jogo foi feita segundo as diretrizes enviadas pela AF Porto, seguindo exatamente a risca tudo o que foi solicitado com os 4 ADR´s", pode ler-se.

"O sr. juiz da partida, devido às ameaças dos elementos do S. Pedro da Cova, decidiu que não estavam reunidas as condições de segurança para continuar o jogo e suspendeu o mesmo. Quando se dirigia para o balneário, foi agredido com um murro e empurrado com extrema violência pelas escadas abaixo. Só por muita sorte não resultou numa tragédia muito maior", prossegue o S. Lourenço.

"O S. Lourenço do Douro orgulha-se de ser um clube que se rege dentro do futebol e na sociedade por princípios de boa educação, camaradagem, solidariedade e, acima de tudo, por um espírito de fair-play, anti-violência e respeito por todas as pessoas acima de qualquer resultado desportivo. Cabe a todos nós lutar por um futebol melhor, sem violência, e por isso mesmo pedimos que este tipo de atitudes sejam severamente castigadas e que estas pessoas que incentivam a violência e estragam o verdadeiro futebol sejam irradiadas de uma vez por todas", conclui.