Nem o treinador do Cinfães queria acreditar: "Chego a fazer peladinhas de oito contra oito"

Nem o treinador do Cinfães queria acreditar: "Chego a fazer peladinhas de oito contra oito"

Clube apostou na permanência, mas passará o ano na liderança da Série B do Campeonato de Portugal.

O patamar mais alto a que Cinfães chegou até hoje é o Campeonato de Portugal (CdP). São nove as participações que o clube do distrito de Viseu leva neste escalão, mais duas na extinta II Divisão, tendo ficado em 2012/13 a cinco pontos de subir à II Liga, numa luta perdida para o Académico de Viseu. Nessa época, o Cinfães era treinado por Flávio das Neves, que esta temporada voltou ao clube e está a fazer nova campanha surpreendente. O champanhe que será aberto na passagem de ano terá o sabor da liderança da Série B do CdP, batendo por agora a pesada concorrência de equipas como Felgueiras ou Espinho.

Atingir a permanência foi o objetivo delineado na pré-época, pelo que o primeiro lugar está a surpreender toda a gente, inclusive o próprio técnico. "Isto não estava dentro do programa. Poucos jogadores quiseram vir para cá, mas os que quiseram vir estão a demonstrar um potencial acima da média", sublinhou. "Se em julho me dissessem que em dezembro estaríamos em primeiro, eu não acreditaria", frisou. No entanto, nem tudo são rosas, pois o grupo é curto. "Será difícil manter este desempenho até ao fim do campeonato. Temos poucos jogadores e chego a fazer peladinhas de oito contra oito. Gostaríamos que a Direção reforçasse a equipa com alguns jogadores, sobretudo para darmos competitividade ao plantel e qualidade aos treinos", explicou.

Com a permanência à distância de "três ou quatro pontos", o treinador reconhece que depois deste arranque será "frustrante não ficar nos dois primeiros lugares". "Subida? Vamos lutar pela melhor classificação possível", disse.