Manu, o suplente relançou a subida: "Quando vi o Braga a avançar, fiquei confuso"

Manu, o suplente relançou a subida: "Quando vi o Braga a avançar, fiquei confuso"

Manuel Djaló, 20 anos, só tinha jogado na Taça de Portugal, esta época. Substituiu o habitual titular frente ao Salgueiros e foi decisivo. Campenses conseguiram primeira vitória na zona norte da fase de subida e ficaram a dois pontos dos lugares de promoção. Guarda-redes defendeu penálti e dedicou exibição ao colega João Gonçalo.

Até ao último sábado, Manuel Djaló, 20 anos, tinha apenas dois jogos efetuados esta temporada pelo São Martinho, ambos na Taça de Portugal. Mas a expulsão de João Gonçalo na ronda anterior, frente ao Leça (0-0) precipitou a titularidade do guineense.

Com dois pontos em três jogos e no último lugar da fase de subida, perder frente ao Salgueiros deixaria o emblema de São Martinho do Campo com as aspirações de subir muito difíceis. Contudo, os campenses conseguiram ser a primeira equipa a sair do Cerco do Porto com os três pontos (1-0) e relançaram-se na luta pelos dois primeiros lugares que dão acesso à Liga 3.

Não só Djaló manteve a baliza a zeros, como ainda defendeu um penálti, desperdiçado por Braga. Tudo com uma dedicatória especial.

"Tenho um relacionamento muito bom com o João, que é ótima pessoa e que me tem ensinado bastante. Ele deu-me os parabéns pela exibição e acabei por lhe dedicar a vitória. Não foi fácil ficar de fora, mas somos uma equipa e fiz tudo por ele", afirmou.

Se Ricardo Pinto adiantou o São Martinho aos 11", pouco depois o Salgueiros podia ter empatado, mas houve o tal momento de Manu, como também é conhecido, ao defender um castigo máximo. "Tinha estudado o Cícero a bater penáltis, porque tinha sido ele a marcar um na ronda anterior. Quando vi o Braga a avançar, fiquei confuso. Foquei-me, percebi que ele ia bater para o poste direito e consegui defender", conta. "A partir daí senti-me ainda mais confiante e seguro. Era o meu dia. Foi uma vitória muito importante", assume.

Das ruas da Guiné-Bissau para o futebol português, a ascensão do guardião tem sido supersónica. O Leixões foi o primeiro clube federado, em 2019, passou depois por Pedrouços e Mirandela, antes do São Martinho. "Tenho crescido rapidamente com a ajuda de todos os treinadores de guarda-redes que apanhei", vinca.