Polémica na AF Setúbal: Vasco da Gama de Sines perde por culpa da baliza

Polémica na AF Setúbal: Vasco da Gama de Sines perde por culpa da baliza

O Vasco da Gama de Sines já anunciou que vai recorrer da decisão

O Vasco da Gama de Sines foi punido com uma derrota no jogo com o Barreirense, a contar para a quinta jornada da 1ª Divisão da AF Setúbal, marcado para o dia 5 de novembro, por causa da altura de uma das balizas.

Antes do início do jogo, o treinador de guarda-redes da equipa do Barreiro alertou a equipa de arbitragem que a altura de uma das balizas não estaria de acordo com as normas regulamentares, e o juiz da partida determinou o cancelamento da partida.

A 9 de novembro, a Associação de Futebol de Setúbal puniu o Vasco da Gama de Sines com derrota no jogo com o Barreirense, aplicando ainda uma multa de 100 euros. A formação de Sines já anunciou que vai recorrer da decisão.

Ainda antes de se conhecer o veredicto da AF Setúbal, o cancelamento do encontro motivou reações por parte dos dois clubes. Em comunicado publicado no Facebook, o Vasco da Gama de Sines salientou as condições das instalações do clube, mostrando "indignação e revolta pelos acontecimentos ocorridos". A formação de Sines destacou ainda que o estádio recebeu "várias vistorias e análises" da Federação Portuguesa de Futebol e da AF Setúbal e falou numa "situação ensaiada" pelo treinador de guarda-redes do Barreirense.

"Sabemos sim que houve intenção por parte do treinador de guarda-redes do F.C Barreirense de despoletar a situação e já vinha ensaiada pois assim que entrou no terreno de jogo para preparar o aquecimento dos seus guarda-redes logo se encaminhou à baliza Norte e chamou a equipa de arbitragem à revelia do seu diretor e delegado ao jogo que confirmou o sucedido na reunião pré-jogo com as 3 equipas. Não sabemos ao certo o porquê, mas sabemos que houve uma logística, para a realização do jogo, logo pela manhã muito cedo e que a nossa equipa é impossibilitada de competir esta semana e fica com menos 1 jogo que veremos quando se irá realizar", escreveu o Vasco da Gama de Sines, que reitera que o desafio não se realizou por um "preciosismo ridículo".

"O jogo não se realizou por má-fé e por um preciosismo que nos parece ridículo seja na Distrital ou na Liga dos Campeões, acrescentaram.

Já o Barreirense esclarece que esteve sempre disponível para disputar a partida, salientando que a decisão foi da "exclusiva responsabilidade do árbitro do encontro". Quanto às acusações do Vasco da Gama, o clube do Barreiro lamentou a tentativa de responsabilização levada a cabo pelo clube de Sines.

"A decisão da não realização do encontro foi da exclusiva responsabilidade do Sr.º árbitro do encontro, justificada com o facto da altura de uma das balizas do Estádio Municipal de Sines ser inferior em 13 e 14 centímetros (dependendo do local da medição), relativamente à altura regulamentar. Desde que se colocou a hipótese da não realização do encontro por parte do Sr.º árbitro, a atitude do Futebol Clube Barreirense foi sempre a de demonstrar junto da equipa de arbitragem a sua total disponibilidade e vontade para que a realização do jogo fosse uma realidade, argumentando com o facto de o calendário estar muito preenchido, as despesas inerentes a uma deslocação que é a mais distante do campeonato, quer para o clube quer para os inúmeros sócios e adeptos que se deslocaram desde o Barreiro até Sines", começou por escrever o Barreirense.

"Lamentamos profundamente a tentativa de contrainformação relativamente aos factos que originaram o adiamento do jogo, não se revendo o Futebol Clube Barreirense em nenhuma atitude que tivesse inviabilizado a sua realização, tendo inclusive efetuado desde o início do processo diversas tentativas para que o mesmo tivesse lugar. Terminamos lamentando a tentativa de nos responsabilizar por factos e tomadas de posição que não correspondem à verdade", concluiu.