Dias difíceis no Cesarense: derrotas, saídas e ordenados em atraso

Dias difíceis no Cesarense: derrotas, saídas e ordenados em atraso

Presidente confirmou a O JOGO dois salários em atraso. Outubro será pago brevemente.

O Cesarense vive dias difíceis dentro de campo e fora dele. Se na Série B do Campeonato de Portugal o conjunto de Oliveira de Azeméis não vence há quatro jogos, a Direção presidida por Paulo Santos também se está a deparar com dificuldades financeiras. Há, segundo o próprio dirigente confirmou a O JOGO, dois meses de salários em atraso, referentes aos meses de outubro e novembro, mas Paulo Santos garantiu que um dos meses será liquidado nos próximos dias.

"Disse aos jogadores que vou pagar outubro até ao dia 15 de dezembro. Mas se calhar até vamos pagar antes. No início da época transmiti à equipa que iriam receber entre o dia 10 e o dia 15, e tem sido sempre assim", assegurou, justificando a falta de dinheiro. "O presidente fechou a torneira...", declarou.

Para fazer face aos custos, o plantel já ficou sem Lucas, Henrique Leça e Rui Sampaio. Fabeta e Igor Caetano serão os próximos a sair. A subida foi o objetivo inicialmente delineado pelo Cesarense, mas, com o atual 14.º lugar no CdP, o dirigente aponta agulhas para a permanência e revelou não ter "nada em vista" quanto à entrada de investidores para a formação de uma SAD.