Casa Pia explica falta ao jogo com o Olhanense: "Há discrepância entre o relatório e o que a FPF diz"

Casa Pia explica falta ao jogo com o Olhanense: "Há discrepância entre o relatório e o que a FPF diz"

Presidente Vítor Franco garante ter relatório onde consta que o árbitro terminou jogo com o Olhanense

Depois de ter estado nas bocas do país quando, em janeiro, o Conselho de Disciplina da FPF tirou seis pontos ao Casa Pia que estava a utilizar Rúben Amorim como treinador, sem que este tivesse habilitações para tal, os lisboetas estão, agora, no centro de outra polémica.

O encontro com o Olhanense, da Série D do Campeonato de Portugal, disputado no passado domingo terminou aos 81' na sequência de uma invasão de campo dos adeptos algarvios. Sem policiamento, o Paulo Barradas (AF Setúbal) esperou pela chegada das forças de segurança, o que não aconteceu, e deu suspendeu ou... terminou o jogo, pois aqui reside a diferença de visão entre Federação Portuguesa de Futebol e Casa Pia.

"O Casa Pia esperou três horas até que o árbitro chamasse o delegado do clube, entregou ao delegado a ficha do jogo declarando que o mesmo tinha acabado por não se encontrarem reunidas as condições de segurança. Perto das 22h00, a FPF contactou o Casa Pia dizendo que nos termos do regulamento o jogo seria retomado hoje às 16h00. O Casa Pia respondeu a dizer que o árbitro tinha dado o encontro por terminado, a FPF disse que a partida foi suspensa e há uma discrepância que está no relatório, que nós temos a cópia, e no que a FPF diz", afirmou a O JOGO. "Além disso, hoje teríamos muita dificuldade em ir ao Algarve outra vez pois chegámos depois da meia-noite a Lisboa", completou.