Beira-Mar paga cinco mil euros apra recuperar espólio do clube

Beira-Mar paga cinco mil euros apra recuperar espólio do clube
Jorge Maia Valente

Tópicos

A Taça de Portugal, a Taça Ribeiro dos Reis, quadros com primeiras equipas de futebol, outras que foram campeãs em futebol e outras modalidades, e um sem número de memórias que faziam - e voltam a fazer - parte do espólio do Beira-Mar, foram recuperados pelo valor de cinco mil euros.

O espólio estava sob a alçada da SAD que geriu o futebol profissional e a recuperação obrigou a acordo com o administrador judicial, evitando a perda de grande parte dos 97 anos de história do clube. "Tivemos de pagar por aquilo que era nosso", explicou Hugo Coelho, presidente do Beira-Mar, depois de dar conta da liquidação da SAD efectivada no final de janeiro, e que abre portas à sua extinção.

"Falta pouco para o clube ficar livre deste problema", anunciou o líder na reunião magna de sócios que aprovou o exercício de 2017/18 com um saldo negativo de 13.800 euros. A criação do Museu do Beira-Mar está na mira dos dirigentes, numa primeira fase, em salas do Estádio Municipal de Aveiro, para onde algumas modalidades e serviços já transitaram. Com o fim da SAD, o Beira-Mar livra-se de encargos herdados e estará em condições de caminhar pelo seu próprio pé depois da hecatombe financeira e desportiva que conduziu o futebol do clube às provas distritais de Aveiro.