Estala a polémica entre Lourosa e Espinho

Estala a polémica entre Lourosa e Espinho
André Bastos

Tópicos

Presidente da direção do clube do Campeonato de Portugal atacou o emblema vizinho e criticou arbitragens

Atendendo a algumas incidências que ocorreram ao longo desta época, o presidente do Lourosa, Hugo Mendes abordou, em conferência de Imprensa, quatro pontos distintos. E embora sem se referir concretamente ao nome do Espinho, o dirigente começou por visar o rival da série B, equipa onde no verão passado foi buscar o treinador Rui Quinta e alguns jogadores. "Há um clube que se tem preocupado bastante com o nosso emblema e manda recados através dos nossos adeptos. O Lourosa tem jogadores desse clube e muitos vieram para cá ganhar menos porque procuraram melhores condições de trabalho, desde balneários, infraestruturas, departamento médico e tudo o que está envolvido numa equipa de futebol", revelou, antes de explicar a situação do treinador: "É um privilégio ter o Rui Quinta no Lourosa e ao contrário do que se especula, está em cima da mesa uma renovação. Em dezembro, o míster teve uma proposta para ganhar 600 mil euros anuais, a convite do Vítor Pereira, no Shanghai [China] e recusou porque está comprometido a fazer história e elevar este clube aos campeonatos profissionais."

No longo discurso, Hugo Mendes teceu também alguns reparos às arbitragens, que, no seu entender, "prejudicaram o Lourosa e lhe retiraram alguns pontos, que nesta altura deixariam o clube a liderar a série B". Por fim, o presidente do emblema de Santa Maria da Feira revelou que nos próximos dias 18 e 19 terá uma reunião com elementos do Conselho de Arbitragem e da Federação Portuguesa de Futebol, respetivamente, sendo que com este último órgão, liderado por Fernando Gomes, vai pedir para que "proteja esta prova, de modo a que não haja campeões pré-definidos".