"Esta ideia espetacular da Champions em Portugal é incompreensível"

"Esta ideia espetacular da Champions em Portugal é incompreensível"

"Há duas semanas não se podia fazer seis jogos do Campeonato de Portugal, mas agora pode-se fazer 20 da Liga dos Campeões", aponta o presidente da SAD do Olhanense.

Os seis clubes do Campeonato de Portugal (Fafe, Lourosa, Praiense, Benfica e Castelo Branco, Olhanense e Real) não se conformam com a decisão da Federação Portuguesa de Futebol com a não realização de um play-off de acesso à II Liga e marcaram um protesto para a próxima terça-feira, na Cidade do Futebol.

A O JOGO, Luís Torres, presidente da SAD dos algarvios, explicou que a manifestação pretende lutar pela "verdade desportiva" e não cingir-se, apenas, ao descontentamento destes seis emblemas. "Queremos manifestar-nos organizadamente contra o pântano em que está mergulhado o futebol português e contra os erros administrativos e as más decisões que têm sido tomadas pela FPF", explica o dirigente, que atacou a eventual realização de jogos da Liga dos Campeões em Portugal.

"Há duas semanas não se podia fazer seis jogos do CdP, mas agora pode-se fazer 20 da Liga dos Campeões. Esta ideia espetacular da realização da Champions em Portugal é incompreensível", comenta. No caso do Olhanense, a SAD já disponibilizou autocarros para os adeptos e o mesmo será feito pela Cãmara Municipal.

"Teremos todo o cuidado para cumprir as normas de segurança e higiene. Não podemos levar todas as pessoas que queiram ir, mas acreditamos que ao protesto se vão juntar adeptos de outros clubes que também se sintam lesados com as decisões da FPF", referiu. "É preciso lembrar que o Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) reverte muitas vezes as decisões da FPF, como foram os casos de Gil Vicente, no caso Mateus, Boavista, da descida de divisão, ou Casa Pia, na perda de pontos pela inscrição de um treinador sem as habilitações necessárias. E cada vez que a FPF tem que pagar uma indemnização, tecnicamente são os clubes que a pagam e isso lesa toda a gente", advertiu.

De resto, Hugo Mendes, do Lourosa, também garantiu que o clube está a organizar os "meios necessários" para levar os adeptos até à Cidade do Futebol.