Depois de um jejum destes, marcar um golo só podia ter um prémio assim

Depois de um jejum destes, marcar um golo só podia ter um prémio assim

Tiago Jogo não marcava há quase cinco anos e a SAD prometera um repasto quando terminasse o jejum.

Tiago Jogo quebrou um jejum de quase cinco anos sem marcar golos e o regresso da pontaria afinada vai valer um jantar à equipa, oferecido pela SAD. A história é contada na primeira pessoa pelo médio, que contribuiu para a vitória dos algarvios (3-1) frente ao Louletano e cujo último remate certeiro datava de maio de 2015, quando ainda jogava no Feirense. "Sinceramente, nem me lembro qual foi o jogo, precisava de ir ver à internet para saber. A SAD prometeu um jantar à equipa quando eu marcasse, mas, como o golo foi um remate que sofreu um desvio, no balneário começaram a dizer que não ia valer e que o árbitro ia dar autogolo", conta o jogador, que está na terceira época ao serviço do emblema de Olhão, tendo, pelo meio, representado o Felgueiras durante meio ano.

O Olhanense passou por um período conturbado nos últimos anos, mas a mudança de administração parece ter trazido estabilidade. "Esta SAD tem cumprido com tudo o que promete", garante. O objetivo passa pela subida. "Primeiro que tudo, queremos ir ao play-off de subida. Estando lá, iremos atacar a II Liga", referiu o atleta, que leva 23 jogos ao serviço do líder da Série D do Campeonato de Portugal. A época começou com Vasco Faísca como treinador, mas o técnico saiu para o Braga B, tendo sido rendido por Bruno Ribeiro. "A transição foi fácil, pois o míster Bruno Ribeiro não alterou quase nada", contou, salientando a reaproximação dos adeptos. "Nota-se que temos tido mais pessoas no estádio e, quando jogamos fora, mesmo estando a 300 quilómetros de casa, temos sempre gente a apoiar", valoriza.