Campeonato de Portugal: comboio com doze para quatro felizardos

Campeonato de Portugal: comboio com doze para quatro felizardos

Começa no domingo a fase de subida, com emblemas históricos e outros projetos ambiciosos na luta pelo acesso à Liga 3.

Arranca amanhã, domingo, a viagem final do Campeonato de Portugal, que culminará na subida de quatro clubes à Liga 3, ou seja, os que terminarem nos dois primeiros lugares de cada agrupamento de promoção. Terminada a primeira fase, que apurou os dois primeiros de cada série, 12 clubes foram repartidos geograficamente em dois agrupamentos de seis emblemas cada. Na zona norte estão Länk Vilaverdense, Marítimo B, Paredes, São Martinho, Salgueiros e Leça, enquanto a sul jogarão Sertanense, Fontinhas, Belenenses, Pêro Pinheiro, Olhanense e Moncarapachense.

Dois históricos e muita incerteza a norte
Se a sul há, em teoria, duas equipas parecem ter um ligeiro ascendente , a norte é tudo muito imprevisível. Länk Vilaverdense e Marítimo B qualificaram-se com tranquilidade na Série A. Os minhotos, por via do investimento do grupo canadiano Länk, que mudou o nome do clube, fez aposta declarada na subida.
O Marítimo B já andou pela Liga SABSEG e tem demonstrado valor suficiente para poder acreditar em algo mais. O Paredes apoia-se numa espinha dorsal de algumas épocas e num treinador com oito anos de casa, que pegou no clube na Elite da AF Porto. O São Martinho garantiu o bilhete da subida na derradeira jornada e tem um plantel experiente, guiado por Agostinho Bento, que subiu o Fafe, em 2015/16.

Da Série C chegaram dois históricos: Salgueiros, que também tem apostado na subida nos últimos anos, e que tem nomes conhecidos como Diogo Valente, Braga, Nelsinho e Cícero, e o Leça, beliscado por lhe ter sido negada a Liga 3 na época anterior, devido a um processo de insolvência intentado por Manuel Rodrigues, antigo presidente dos leceiros.

Todos contra Belenenses e Olhanense
Belenenses e Olhanense, habituados a outras andanças, procuram reerguer-se. O Belém venceu a Série E e o Olhanense a F. Na Série D apuraram-se a surpresa Sertanense e o Fontinhas, da ilha Terceira, e que tem vindo a crescer nos últimos anos. A acompanhar o Belenenses, no respetivo agrupamento, esteve outro dos outsiders: o Pêro Pinheiro, orientado por Hélder Ferreira, que é simultaneamente o presidente da turma de Sintra, enquanto o Moncarapachense, precisamente do concelho de Olhão, apurou-se juntamente com o vizinho, suplantando a concorrência do Louletano, que sonhava com algo mais. Será uma série com dois históricos teoricamente na dianteira, mas o equilíbrio predominará e há que ter em conta os pisos sintéticos de Pêro Pinheiro, Fontinhas e Moncarapachense.