Boavista-Fafe: "guerra" continua nos sites

Boavista-Fafe: "guerra" continua nos sites

Depois de Álvaro Braga Júnior e Albino Salgado terem lançado achas para a fogueira, os dois clubes utilizaram o site para continuarem as acusações.

A guerra de acusações entre Fafe e Boavista não se ficou por Álvaro Braga Júnior e Albino Salgado. Os dois clubes utilizaram os respetivos sites para apresentarem cada uma das versões dos acontecimentos. O Fafe, que diz que os jogadores foram agredidos no Bessa, emitiu um comunicado no qual relata aquilo que diz ter sido uma tarde de pesadelo, que começou com o desagrado de Petit, treinador axadrezado, com uma entrevista de um jogador contrário. Este terá depois levado um estalo de alguém vestido com o casaco do Boavista. No final do jogo fala em agressões bárbaras no túnel, onde até adeptos terão estado.

Eis o comunicado:

"A direcção da Associação Desportiva de Fafe vem, por este meio, explanar os factos ocorridos hoje no Estádio do Bessa, antes e depois do encontro da nossa equipa diante do Boavista.

Aquando da chegada da nossa comitiva ao Estádio do Bessa e já depois do reconhecimento que os nossos jogadores fizeram ao relvado, o ex-internacional português Petit, dirigiu-se a um dos nossos jogadores, munidos da cópia de uma entrevista dada pelo atleta durante a semana. Petit interpelou-o em tons menos próprios e, a coberto da visão dos adeptos, já no interior do túnel, um elemento vestido com um casaco do Boavista que acompanhava Petit deu um estalo no nosso jogador. Um elemento da direcção da AD Fafe, por não possuir o contacto da PSP do Porto, contactou o comandante da GNR de Fafe para alertar desse facto e do clima de intimidação que se estava a instalar.

Já perto do final do jogo, um jogador da AD Fafe preparava-se para efectuar um lançamento de linha lateral e houve uma tentativa de agressão por parte de um elemento da SAD boavisteira. Já após o final, e quando todos os elementos se encontravam no túnel de acesso aos balneários, dirigentes do Boavista, jogadores, elementos da equipa técnica e adeptos, sim estavam adeptos no acesso ao balneário, agrediram de forma bárbara jogadores, directores e equipa técnica da AD Fafe, com recurso a socos e a pontapés. A comitiva do nosso clube, em pânico, fugiu em direcção aos balneários onde se refugiou. Foi já aí que a direcção solicitou a presença da PSP, mas os danos físicos em alguns elementos já eram visíveis.

É inacreditável que no futebol actual ainda haja clubes que se refugiem neste tipo de práticas, permitindo o acesso de adeptos a zonas restritas e tudo sob o beneplácito de quem devia zelar pela boa organização do encontro. Este jogo não tinha policiamento porque não foi requisitado pela PSP.

A direcção da AD Fafe vai, nos próximos dias, realizar uma exposição à Federação Portuguesa de Futebol para relatar os factos que sucintamente aqui explanamos para a comunicação social.

Fafe, 03 de Março de 2013".

Já o Boavista nega esta versão. O clube escreveu uma crónica sobre a vitória frente ao Fafe e, no final da mesma, garante que o "presidente do Fafe numa tentativa de se autopromover, teceu um conjunto de inverdades". "A Boavista SAD, vem por este meio desmentir categoricamente qualquer incidente relevante no final do jogo Boavista SAD - AD Fafe, a despeito das inúmeras provocações feitas por dirigentes fafenses. Aguardamos com serenidade o relatório do árbitro, que sem qualquer dúvida, confirmará a nossa versão dos factos.

Estranhamos ainda que o dirigente fafense tenha feito tais declarações já fora das instalações do Bessa e, com a sua equipa ainda nos balneários do Estádio do Bessa Século XXI. Jamais um dirigente do Boavista abandonaria, à sua sorte, a sua comitiva num cenário como delirantemente o dirigente insiste em descrever.

A Boavista SAD não irá alimentar mais especulações por parte de quem tem mau perder", acrescentou.