"Marítimo? Senti que não tive as oportunidades para jogar e mostrar o meu valor"

"Marítimo? Senti que não tive as oportunidades para jogar e mostrar o meu valor"
Miguel Gouveia Pereira

Marcos Silva mostrou pontaria afinada nos três últimos jogos, nos quais fez dois golos pelos ribatejanos. A formação do Ribatejo não começou bem a Série B da Liga 3, mas tem vindo a recuperar e ocupa o quinto lugar, com 13 pontos, a um do Leiria, última equipa na zona de acesso à fase de subida.

Marcos Silva marcou um dos golos da vitória gorda, por 4-0, do Alverca na receção à Académica, na passada jornada. Este foi a segunda finalização certeira do médio, de 25 anos, que também tinha faturado há duas rondas, no empate a um golo em casa do V. Setúbal. "É claro que fico contente por marcar e vou tentar fazê-lo o máximo de vezes possível, bem como assistências. Dessa forma posso ajudar a equipa a conseguir os objetivos, embora o coletivo seja o mais importante", resume o camisola 8 do Alverca em conversa com O JOGO.

A mudança para o Ribatejo aconteceu no verão, por empréstimo do Marítimo. "O combustível para qualquer jogador é a confiança e desde o primeiro instante a Direção mostrou que confiava em mim. Acreditaram nas minhas capacidades e espero poder retribuir com trabalho, assistências e golos", conta o criativo, acrescentando que "poder representar um histórico do futebol nacional atrai qualquer jogador". "O clube dá-nos todas as condições para fazermos o nosso trabalho sem qualquer tipo de preocupação", reforça.

Depois de um início periclitante, o Alverca voltou ao bom rumo e ocupa o quinto da Série B, com 13 pontos, a um do Leiria, último clube na zona de acesso à fase de subida. "O objetivo é terminar entre os quatro primeiros e avançar para a próxima fase. Trabalhámos para isso, embora tenhamos noção de que esta prova é muito competitiva, na qual todas as equipas estão separadas por pouco pontos", observou o médio, descrevendo-se como um jogador "trabalhador, fisicamente forte e com muita confiança quando tem a bola nos pés". "Acredito nas minhas capacidades e gosto de trabalhar e aprender para evoluir cada vez mais", diz o médio nascido em Almada.

Experiência frustrante na Madeira

No verão de 2021, Marcos Silva parecia estar perto de concretizar o sonho de jogar na Liga Bwin. Depois de um boa campanha ao serviço do Águeda, o médio assinou pelo Marítimo e ainda fez pré-temporada. Contudo, foi emprestado ao Leiria antes do campeonato começar, sem ter oportunidade de estrear oficialmente pelos madeirenses. "Senti que não tive as oportunidades de que precisava para jogar e mostrar o meu valor. As opções do treinador da altura não foram de acordo com as minhas expectativas e não houve uma aposta em mim. A vida continua e vou responder no Alverca, que é um grande clube", recorda o camisola 8.