Passou por Rio Ave e agora é líder na Liga 3: "Segredo foi ambição e compromisso"

Passou por Rio Ave e agora é líder na Liga 3: "Segredo foi ambição e compromisso"
André Bastos

João Cunha desvendou parte do sucesso do Felgueiras para atingir o primeiro lugar da Zona Norte, ao cabo de três jornadas, aliando ainda a defesa menos batida, com apenas um golo consentido. Aos 25 anos, o central, é um dos mais experientes do plantel, fruto de passagens pelo Rio Ave (I Liga) e Mafra (II Liga). O facto de os durienses terem começado mais tarde a época, só enaltece este arranque...

O Felgueiras é, de forma surpreendente, o líder da Zona Norte da Liga 3. A equipa de Bruno China soma sete pontos nas primeiras três jornadas e até foi a última a começar a treinar com vista à nova época.

Apenas quatro jogadores transitaram de 2020/21 (Serginho, Kiko Rodrigues, Théo e Fábio Rodrigues), mas a equipa técnica, que já tinha salvo o Espinho da descida de divisão na época passada, mostrou acerto nas contratações e, em contrarrelógio, incutiu a sua ideia de jogo. Vitória no terreno da Sanjoanense (1-0), triunfo na receção ao Anadia (1-0) e empate na deslocação a São João de Ver (1-1).

"Apesar de termos começado a construir o plantel mais tarde, as coisas foram feitas com inteligência, mesmo os jogadores que foram chegando a conta gotas, tiveram a capacidade de perceber que era um plantel novo. A ambição e compromisso que todos tiveram, foi o segredo para o sucesso até agora", vincou João Cunha, que não imaginava ser líder nesta altura e muito menos ser a defesa menos batida do campeonato, com um golo sofrido.

"Não pensámos muito nisso, aquilo que o míster e equipa técnica nos passou, foi ir jogo a jogo, com a ambição de que podíamos ganhar, respeitando os adversários. Felizmente, as coisas têm-nos corrido bem", avaliou, acrescentando: "Se não sofrermos golos, estamos sempre mais perto de ganhar. Dá-nos conforto sermos a defesa menos batida, mas não é só a defesa, os nossos avançados também fazem parte desse processo", revelou o central, que apesar de ter 25 anos, é um dos mais experientes do Felgueiras.

Aos 18 anos, chegou a ser chamado por Pedro Martins aos treinos da equipa principal do Rio Ave e entrou mesmo numa partida da Taça da Liga e na época anterior, ajudou o Mafra a fazer um campeonato tranquilo na II Liga, com participação direta em 20 jogos.

"Tenho experiência por já ter jogado em campeonatos acima, a vantagem é na leitura de jogo. O objetivo é passar aos mais novos, essa experiência para torná-los melhores jogadores, pois a equipa só vai beneficiar com isso", contou o defesa.