Argel: "Eu, que estou a chegar ao país, não estava à espera desta organização"

Argel: "Eu, que estou a chegar ao país, não estava à espera desta organização"
Redação

Declarações do treinador Argel Fuchs (Alverca): após o jogo União de Leiria-Alverca (1-2), da segunda mão do play-off da fase de subida da Liga 3

Sobre o jogo: "Sabíamos da dificuldade do jogo, era uma eliminatória em aberto. Foi uma grande partida, um grande jogo perante uma equipa com um investimento e calibre alto. Conseguimos jogar bem na primeira partida, em casa, chegámos aqui a precisar do resultado. A nossa equipa, nas decisões, cresce muito. Na fase da classificação, precisámos de ganhar o jogo para nos classificarmos e conseguimos. Depois, no jogo decisivo com o Felgueiras tivemos de fazer a reviravolta e hoje a mesma coisa."

Qualidade: "Na fase de classificação fomos melhor fora de casa, nesta segunda fase não conseguimos o mesmo fora de casa. Hoje demos um passo importante, estamos vivos na competição. É dar os parabéns à malta pela entrega, pela organização e intensidade de jogo. Foi um jogo de II Liga, tal a qualidade das duas equipas. Foi uma organização fantástica, num estádio e relvado fantásticos. Eu que estou a chegar ao país, não estava à espera desta organização, da qualidade dos árbitros, do investimento dos clubes, com bons jogadores e um bom confronto de ideias."

O Covilhã: "Vamos valorizar a nossa vitória, porque defrontámos um adversário muito forte, perante muitos adeptos. Demos um passo importante, nada mais do que isso. Estamos no 'play-off' final. O Alverca sai fortalecido com a vitória e esperamos que o nosso estádio esteja completamente lotado para enfrentar o Sporting da Covilhã, um adversário difícil."

O desafio: "Hoje é saborear e amanhã pensar já no Covilhã. As chances são 50% para cada lado. Quando pegámos o Leiria era 50% para casa lado. Temos de ser nós mesmos, temos um DNA. Não há um favorito, o mais importante é estar vivo. Ainda não cumprimos o nosso desafio. Há que trabalhar esta semana e valorizar esta vitória. É ter o pezinho no chão, respeitar, sem euforia".