Liga Revelação: os campeões que não se perderam

Liga Revelação: os campeões que não se perderam
Filipa Mesquita

Tópicos

O campeonato está parado e o título ainda pertence ao Aves, vencedor em 2018/19. A esmagadora maioria dos mais utilizados nessa época está na I e na II Liga.

Com o campeonato da Liga Revelação parado, O JOGO fez uma viagem no tempo para recordar o atual campeão da prova: o Aves. A equipa avense arrecadou o título na temporada 2018/19, assim como conquistou a Taça Revelação. Na temporada da inédita conquista - que foi, inclusive, o ano de estreia da Liga Revelação -, há vários jogadores que se destacaram e foram os verdadeiros protagonistas de uma época bem conseguida.

Mais de um ano depois, e apesar de o Aves já não fazer parte da prova - devido à despromoção da SAD ao Campeonato de Portugal e de entretanto ter sido desclassificado, estando até às portas da insolvência -, grande parte dos jogadores mais utilizados continua a jogar profissionalmente. Dos 17 analisados, três estão na I Liga, cinco na II Liga, três no estrangeiro, cinco no Campeonato de Portugal e apenas um jogador se encontra atualmente sem clube. Na baliza, o brasileiro Raphael Aflalo foi o guarda-redes mais utilizado e, depois de se ter estreado na I Liga ao serviço da equipa principal do Aves, mantém-se agora no principal escalão, a representar o Portimonense. Para além do guardião, também o médio Bura e o defesa Ricardo Mangas estão na I Liga: o primeiro está no Farense, o segundo no Boavista. Ambos já foram chamados a jogo esta temporada. O lateral-esquerdo Ricardo Mangas, antes de ingressar no Boavista, estreou-se na I Liga pelo Aves, no último ano.

Ainda em Portugal, mas na II Liga, estão mais cinco dos jogadores: Bruno Lourenço (Estoril), Jorge Vilela (Covilhã), José Varela (Vilafranquense), Miguel Tavares e Bruno Sousa (Casa Pia). Destes cinco jogadores, três deles - Bruno Lourenço, Miguel Tavares e José Varela - também se estrearam na I Liga ao serviço da equipa avense. No estrangeiro estão três jogadores, com destaque para Abdoulaye Dialló (Dínamo Brest), da I liga da Bielorrússia, e para Luquinhas, que representa o Légia Varsóvia, da Polónia. Em suma, dos 17 jogadores mais utilizados, 11 foram chamados à equipa principal do Aves - entre 2018 e 2020 - e somaram, entre eles, 132 jogos, com destaque para Zidane Banjaqui (23), Miguel Tavares (22) e Ricardo Mangas (20), que são os jogadores mais chamados ao principal escalão do futebol português.

A equipa sub-23 do Aves conseguiu assim lançar vários jogadores, que aproveitaram esta competição para evoluir e alcançar outros patamares na carreira. O mesmo objetivo de todas as equipas que participam nesta prova, afinal. O título de campeão continua a pertencer aos nortenhos, uma vez que no último ano, face às condicionantes da covid-19, a competição foi interrompida e não houve vencedor nem do campeonato nem da Taça Revelação.

Esta temporada, a Liga Revelação já deu o pontapé de saída, com destaque para o Famalicão, equipa fundada apenas no ano passado mas que tem sido a grande surpresa da prova, com uma aposta que resultou em quatro vitórias nos quatro jogos disputados. No próximo dia 17 regressa o campeonato, três semanas depois, com seis jogos agendados.