Estoril vai jogar a Ibercup com equipa de doze nacionalidades diferentes

Estoril vai jogar a Ibercup com equipa de doze nacionalidades diferentes

O torneio conta com a participação de 40 equipas de Portugal, Espanha, França, Estados Unidos da América ou África do Sul, entre outros.

O Estoril vai participar no torneio de futebol de formação Ibercup com uma equipa que será composta por 16 atletas de 12 nacionalidades diferentes, ao abrigo do programa de intercâmbio que os canarinhos promovem desde 2016.

O torneio, que começa na próxima segunda-feira, conta com a participação de 40 equipas de Portugal, Espanha, França, Estados Unidos da América ou África do Sul, entre outros, e tem na equipa da linha de Cascais a sua participante mais "original", como assume Hugo Leal.

"A nossa participação na edição deste ano da Ibercup é um pouco atípica, mas original", começa por realçar o diretor do futebol de formação do Estoril, que explica que a equipa deste ano "é o culminar de três anos do programa elite", iniciativa levada a cabo pelo clube desde 2016 e que "visa possibilitar a jovens de outros países passarem um ano da sua formação em Portugal, jogando futebol mas também partilhando experiências e vivenciando outras culturas, entre as quais a portuguesa".

Hugo Leal adianta que durante todo o ano estes jovens vivem e estudam em Portugal, partilham a sua cultura e absorvem a nossa, e que a participação na Ibercup é "a cereja no topo do bolo".

"Quando surgiu esta possibilidade percebemos que era uma boa oportunidade destes jovens competir num torneio, todos juntos. Para alguns é o culminar de um ano do programa, outros regressam e há quem participe pela primeira vez. A participação na Ibercup é a cereja no topo do bolo, o culminar de uma temporada fantástica, que premeia a dedicação e excelente comportamento dos pais, treinadores e, sobretudo, destes atletas", diz o antigo futebolista.

Hugo Leal assume que ter uma equipa com 12 nacionalidades "abrilhanta todo o cenário", frisando que o mais importante é que os jogadores percebam que "o que fazem dentro de campo, o sentimento de partilha e entreajuda, é possível de transportar para outras áreas".

Esta participação original do Estoril Praia na Ibercup, com uma equipa multicultural, é parte de uma estratégia que o clube começou a desenvolver há uns anos e que culminou com a formação de um compromisso com a ONU para a promoção de "30 medidas para mudar o mundo".

O diretor do futebol de formação dos 'canarinhos' afirma que o programa elite é talvez o que melhor corporiza o que o Estoril tem feito, numa tentativa de promover a não discriminação e a integração cultural, sempre com um elevado sentido de cumprimento das regras desportivas e de 'fair play'. Neste sentido, o ex-futebolista destaca a não divulgação dos resultados dos jogos das equipas até aos 13 anos, assim como a não divulgação de resultados de dois dígitos acima deste escalão, ou a penalização dos pais que tenham comportamentos menos corretos nas bancadas.

"O que queremos na área da formação é contribuir para um mundo mais risonho, de oposição à violência, de não discriminação e integração. São iniciativas de sensibilização que, em última análise, querem contribuir para que um jovem aos 15 ou aos 16 não tenha vontade de desistir de jogar futebol, porque situações dessas não fazem qualquer sentido", termina.

O torneio de futebol de formação Ibercup realiza-se de segunda-feira a 06 de julho, no Estoril, e conta na edição deste ano com a presença de 40 equipas.