Sete golos e emoção até ao fim: Vilafranquense bate Nacional

Sete golos e emoção até ao fim: Vilafranquense bate Nacional
Redação com Lusa

Tópicos

Com esta vitória, o Vilafranquense subiu à 11.ª posição da II Liga, com 22 pontos, ao passo que o Nacional segue no quinto lugar, com 29 pontos em 19 jornadas

Léo Bahia garantiu este sábado, com um golo de livre ao cair do pano, o triunfo do Vilafranquense por 4-3 sobre o Nacional, em jogo da ronda 19 da Liga SABSEG, disputado no Municipal de Rio Maior.

Num jogo com sete golos e várias reviravoltas, a formação ribatejana voltou aos triunfos após o desaire na última jornada, em Penafiel, em circunstâncias idênticas, enquanto o Nacional averbou a segunda derrota consecutiva no segundo escalão e pode ser ultrapassado no quinto lugar.

Após um início de partida em que nenhuma equipa assumiu o controlo do encontro, foram os madeirenses a inaugurar o marcador, aos 14 minutos: depois de um remate ao poste de Danilovic, num canto bem trabalhado, a bola sobrou para o defesa Rafael Vieira, que só teve de encostar.

Todavia, a vantagem da formação insular durou pouco tempo já que o Vilafranquense conseguiu a reviravolta nos instantes seguintes, aos 23 e 28 minutos.

O empate chegou por intermédio de Leo Cordeiro, que surgiu ao segundo poste para encostar um remate de Belkheir após saída de António Filipe, e, momentos depois, a equipa da casa adiantou-se no marcador através de um penálti convertido por Ença Fati, que aproveitou da melhor maneira uma falta de Rafael Vieira sobre Belkheir dentro de área.

O resultado premiava a assertividade de um Vilafranquense que apostava no contra-ataque, mas o Nacional não desistiu e conseguiu chegar ao empate ainda antes do intervalo, de novo num lance de canto em que João Camacho aproveitou um mau alívio de Adriano Facchini para colocar a bola por cima do guarda-redes ribatejano, que estava ligeiramente adiantado.

A segunda parte começou animada e o Vilafranquense, por três vezes, tentou recolocar-se na frente, a última das quais com Edu Machado a desmarcar Ença Fati à direita e o extremo a rematar às malhas laterais da baliza quando apenas tinha o guarda-redes do Nacional pela frente.

Mas quem não marca sofre, e foram os insulares que voltaram a marcar: aos 52 minutos, o capitão Vítor Gonçalves desmarcou Marco Matias em profundidade e o extremo trabalhou bem sobre Marcos Valente, finalizando com um remate em arco.

O Vilafranquense respondeu e, aos 64 minutos, Belkheir igualou o marcador com um golo de belo recorte técnico. O avançado, que estava a ser um dos mais desequilibradores no encontro, aproveitou um bom cruzamento à esquerda de Léo Bahia para aplicar um pontapé de moinho e chegar ao empate.

O momento alto da manhã, no entanto, estava reservado para o último minuto do tempo regulamentar, com o golo da vitória da formação de Filipe Gouveia. Num livre à direita do ataque, Léo Bahia colocou a bola na área e beneficiou da ação do colega Marcos Valente, que ainda tentou cabecear, para ver a bola entrar na baliza e selar nova reviravolta e novo triunfo da equipa de Vila Franca de Xira.

Com esta vitória, o Vilafranquense subiu à 11.ª posição da II Liga, com 22 pontos, ao passo que o Nacional segue no quinto lugar, com 29 pontos em 19 jornadas.

Jogo disputado no Estádio Municipal de Rio Maior.

Vilafranquense - Nacional, 4-3.

Ao intervalo: 2-2.

Marcadores:

0-1, Rafael Vieira, aos 14 minutos

1-1, Leonardo, 23.

2-1, Ença Fati, 28.

2-2, João Camacho, 39​​​​

2-3, Marco Matias, 52

3-3, Belkheir, 64

4-3, Léo Bahia, 90

Equipas:

- Vilafranquense: Adriano Facchini, Ença Fati, Nuno Rodrigues (Jaquité, 56), Gabriel Pereira, Marcos Valente, Prince Mendy, Belkheir (Sangaré, 78), Edu Machado (Mike Moura, 56), Leo Cordeiro (Umaro Baldé, 90), Léo Bahia e Idrissa Dioh (André Ceitil, 78).

(Suplentes: Luís Ribeiro, André Ceitil, Bernardo Martins, Sangaré, Umaro Baldé, Eric Veiga, Mike Moura, Jaquité, Simão Jr.)

Treinador: Filipe Gouveia

- Nacional: António Filipe, Rafael Vieira (Júlio César, 80), João Camacho, Danilovic, Witi (André Sousa, 66), Rúben Freitas, Rui Correia, Róchez, Francisco Ramos (Rouai, 80), Marco Matias e Vítor Gonçalves (Dudu, 87).

(Suplentes: Vagner, Alhassan, Chaby, Suliman, Júlio César, André Sousa, Jota, Rouai, Dudu).

Treinador: Rui Borges

Árbitro: João Afonso (AF Bragança).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Rui Correia (23), Rafael Vieira (26), Edu Machado (32), Nuno Rodrigues (35), Jaquité (59), André Ceitil (81), Vítor Gonçalves (84).

Assistência: cerca de 150 espectadores.