Nacional e Mafra dividem pontos na Madeira

Nacional e Mafra dividem pontos na Madeira
Redação com Lusa

Tópicos

Visitantes impediram derrota pouco antes dos 90

Nacional e Mafra empataram hoje 1-1 no Estádio da Madeira, em jogo relativo à nona jornada da Liga Portugal SABSEG, com os visitantes a igualarem já muito próximo do apito final.

Após um nulo ao intervalo, o Nacional foi o primeiro a chegar ao golo, num cabeceamento de Alhassan, aos 61 minutos, com a Mafra a chegar ao empate aos 89, por Pedro Pacheco, resgatando um ponto.

Numa primeira parte marcada pelo equilíbrio, foi o Mafra quem entrou melhor, mais acutilante e solto no jogo. Contudo, com o passar dos minutos, o Nacional reagiu a essa melhor entrada e equiparou as forças.

O primeiro lance de algum perigo, ocorreu à passagem dos 26 minutos, num remate de Rodrigo Martins que saiu por alto. O Nacional respondeu por Witi, dois minutos volvidos, num remate forte, mas não enquadrado com a baliza.

Foi apenas já no declinar da etapa inicial que o perigo voltou a rondar as balizas. Primeiro, num cabeceamento de Júlio César, após um livre de Marco Matias, aos 39 minutos, depois, num desvio de cabeça de Bryan Róchez, após um centro de Witi, e, finalmente, num forte remate de Aparício, que António Filipe segurou.

A semelhança da primeira parte, o Mafra reentrou melhor após o intervalo e foi novamente a primeira equipa a criar perigo, aos 50 minutos, num remate de Rodrigo Martins. O Nacional respondeu no minuto seguinte, numa arrancada de Witi, que terminou nas mãos de Miguel Santos.

O jogo estava a ser disputado num ritmo vivo e Kikas voltou a criar perigo, num desvio no interior da pequena área, resolvido por António Filipe.

Aos 58 minutos, o internacional hondurenho Bryan Róchez tentou aproveitar o adiantamento de Miguel Santos, mas a bola saiu junto à barra.

Até que aos 61 minutos, após um livre cobrado por Marco Matias, Alhassan surgiu de rompante e, de cabeça, inaugurou o marcador.

Aos 89 minutos, Vítor Gabriel esteve perto do golo, com António Filipe a corresponder com uma esplêndida de defesa, contudo, na sequência do canto, Pedro Pacheco foi mais forte no ar e restabeleceu a igualdade.