Cova da Piedade quer a manutenção e recusa deslumbramentos

Cova da Piedade quer a manutenção e recusa deslumbramentos

"Ainda na época passada estávamos a jogar no terceiro escalão, no Campeonato de Portugal. Não nos podemos deslumbrar", lembra o treinador Sérgio Boris.

O treinador Sérgio Boris não alterou o discurso adotado desde o início da temporada de estreia nas competições profissionais, apesar do atual quinto lugar na II Liga de futebol, com 25 pontos.

"Não é à 14.ª jornada que vamos alterar os nossos objetivos. Continuamos a apontar à manutenção na II Liga, apesar de termos ultrapassado, até ao momento, o que seria espetável nesta altura do campeonato", sublinhou o treinador do Cova da Piedade, também ele um estreante nas competições profissionais.

A este propósito, Boris acrescentou: "Ainda na época passada estávamos a jogar no terceiro escalão, no Campeonato de Portugal. Não nos podemos deslumbrar".

Alguns treinadores de equipas adversárias apontam o facto de o conjunto da margem sul do Tejo ser essencialmente pragmático, ostentando um estilo de jogo cuidadoso e assente numa boa organização defensiva.

Ainda na última partida, contra o FC Porto B, que o Cova da Piedade venceu por 1-0, Luís Castro, treinador dos campeões em título da II Liga, disse que a sua equipa passou a primeira parte a atacar contra uma 'muralha'.

"Não sei se é um elogio ou uma crítica. O que sei é que os números refletem a nossa forma de estar em campo. Apresentamos um balanço de 16/14 entre golos marcados e sofridos. Temos uma equipa que constrói o seu jogo a partir da defesa, mas equilibrada. A ideia é sermos um conjunto seguro e versátil", adiantou o timoneiro do Cova da Piedade, formação que ainda não sofreu qualquer derrota caseira - tem um registo de cinco vitórias e dois empates.

Sérgio Boris não recolhe para si os 'louros' da campanha positiva na II Liga. "Os jogadores são os grandes responsáveis pelo bom campeonato que estamos a fazer até ao momento. Têm sido fantásticos em empenho e dedicação. Estou muito contente com a atitude dos atletas nos treinos e nos jogos".

O treinador enaltece ainda o papel dos atletas nas boas assistências que se têm registado no Estádio Municipal José Martins Vieira. "São as boas exibições e os resultados positivos que trazem as pessoas aos estádios de futebol. Daí o facto de os nossos adeptos terem enchido o nosso estádio nos últimos jogos".

Quanto ao plantel, Sérgio Boris não está obcecado com o chamado mercado de inverno, embora não feche as portas a possíveis contratações. "Estou satisfeito com o plantel que tenho à minha disposição, mas está tudo em aberto. Para já, nem sequer quero pensar nisso", rematou.

O lateral-direito Chico Gomes é um dos vários futebolistas que veio reforçar o Cova da Piedade no arranque da temporada, dotado de vasta experiência a representar emblemas da II Liga em épocas precedentes. Além de Chico Gomes, basta acrescentar nomes como os de Miguel Ângelo, Siaka Bamba, Ricardo Barros, André Carvalhas e Robson, entre outros.

"A equipa foi contratar jogadores com experiência e qualidade à II Liga, prova que tem apresentado campeonatos muito competitivos e equilibrados. Mas parece-me que, esta época, as coisas estão um pouco diferentes. Por exemplo, o Portimonense, o atual líder, está a dominar claramente a II Liga. Penso que o único conjunto que os fez perder pontos, em Portimão, foi o Cova da Piedade, que foi lá empatar", salientou Chico Gomes,

O jogador que veio do Desportivo das Aves (atual segundo classificado) considera que, esta temporada "se está a jogar um futebol mais bonito e ofensivo".

Chico Gomes veio do norte, mas nasceu em Torres Vedras há 28 anos. Antes de chegar ao Cova da Piedade, envergou as camisolas do Desportivo das Aves, União da Madeira, Moreirense, Portimonense e Torreense.

Considera que normalmente os adeptos nortenhos são mais calorosos e se envolvem mais no apoio às suas equipas, mas revela-se surpreendido com o que tem sucedido esta época no Cova da Piedade.

"Por exemplo, entre Aves e Moreira de Cónegos existe uma grande rivalidade e estas localidades estão apenas separadas por sete quilómetros. Mas confesso que fiquei surpreendido com o ambiente que rodeia o Cova da Piedade. Temos enchido o estádio devido às nossas boas exibições. As pessoas não têm ficado indiferentes", disse ainda o defensor piedense.

Registe-se que o Cova da Piedade defronta o Fafe no próximo sábado, em partida da 15ª jornada da II Liga agendada para as 15h00, na localidade minhota.