Paços responde ao Aves: "Comunicados pobres na qualidade literária e paupérrimos no conteúdo"

Paços responde ao Aves: "Comunicados pobres na qualidade literária e paupérrimos no conteúdo"

O Paços de Ferreira-Aves, da Taça da Liga, foi disputado à porta fechada, houve confrontos entre adeptos e comunicados da equipa avense que visaram o emblema pacense

O Paços de Ferreira emitiu este domingo um comunicado em resposta aos que o Aves emitiu nos últimos dias, visando, em primeiro lugar, o facto do jogo ser disputado à porta fechada e, posteriormente tendo por alvo os incidentes verificados entre adeptos no exterior do estádio, visto que o jogo foi disputado à porta fechada.

"Bem sabemos que os sócios, adeptos e simpatizantes de todos os clubes reagem essencialmente pela emoção. Os dirigentes têm obrigações acrescidas, devem agir e reagir com a racionalidade que lhes é exigida pelas funções que desempenham, mas acima de tudo com a responsabilidade das suas declarações e condutas", pode ler-se num extenso comunicado.

Na prática, o Paços de Ferreira anuncia a intenção de juntar a "decisão de corte de relações Institucionais por iniciativa do CD Aves", "o corte de relações pessoais com todos aqueles que pela sua actuação e falta de sentido de responsabilidade contribuíram decisivamente para os factos ocorridos". O clube pacense reconhece o desaparecimento da bandeira do Aves " do espaço onde se encontrava hasteada (sito no exterior do Estádio junto à via pública)", mas esclarece que um representante do Aves não aceitou a proposta apresentada e que passaria pelo pagamento dos "custos inerentes à sua substituição".

Comunicado na íntegra

"É com profundo lamento que a Direcção do FC Paços de Ferreira, bem assim a Sociedade Desportiva, se vê compelida a repor publicamente a verdade dos factos resultantes quer dos incidentes após o Jogo do passado dia 15.09.2018 com o CD Aves quer das declarações dos dirigentes e responsáveis desta Instituição.

Bem sabemos que os sócios, adeptos e simpatizantes de todos os clubes reagem essencialmente pela emoção. Os dirigentes têm obrigações acrescidas, devem agir e reagir com a racionalidade que lhes é exigida pelas funções que desempenham, mas acima de tudo com a responsabilidade das suas declarações e condutas.

Desde o passado dia 11 do corrente que o FC Paços de Ferreira evita fazer qualquer comentário e reacção às declarações tornadas publicas por pessoas afectas ao CD Aves, no cumprimento pleno de um sentido de responsabilidade que deveria permitir a pacificação das relações entre Instituições. No entanto, atenta a gravidade quer dos acontecimentos quer das declarações que foram sucessivamente tornadas publicas, impõem a defesa intransigente da honra, dignidade e bom nome da Instituição que representamos.

Claramente que a Direcção do CD Aves necessitava de um qualquer pretexto para consumar a ameaça efectuada antes da realização do jogo a contar para a Taça da Liga, de modo a justificar o pretendido corte de relações Institucionais;

Como certamente se terão surpreendido pela forma correcta e digna como foram recebidos, tornou-se necessário o recurso a argumentos falsos, sem fundamento, e pasme-se, colocando em causa quer o FC Paços de Ferreira, a Liga Portugal e as próprias forças policiais que negam veementemente a correspondência com a realidade dos factos que pretendiam criar fantasiosamente;

Verificamos que, os comunicados e declarações do Clube e SAD do CD Aves são pobres no sua qualidade literária mas acima de tudo paupérrimas no seu conteúdo.

Seria difícil imaginar que alguém pudesse contribuir publica e irresponsavelmente para que um grupo de adeptos com ligações ao clube em causa se fizesse deslocar ao centro da cidade de Paços de Ferreira e às instalações desportivas do nosso Clube ameaçando e atentando contra a integridade física quer de adeptos quer de atletas e dirigentes da formação do FC Paços de Ferreira e ainda causar danos em estabelecimentos comerciais da cidade.

E sabendo os responsáveis desse clube da factualidade ora descrita, reagem de uma forma leviana imputando responsabilidades aos Presidentes do emblema Pacense que em momento algum tiveram declarações públicas com referência ao CD Aves.

Somos efectivamente uma Instituição com identidade, com as dificuldades inerentes a uma independência económica e desportivas que nos causam constrangimentos, mas que exigem a responsabilidade em cada decisão.
Resulta clara e evidente a decisão de corte de relações Institucionais por iniciativa do CD Aves, mas o FC Paços de Ferreira pretende acrescentar a esse elenco o corte de relações pessoais com todos aqueles que pela sua actuação e falta de sentido de responsabilidade contribuíram decisivamente para os factos ocorridos.

Por fim, quanto ao desaparecimento da bandeira do CD das Aves, reconhecemos o seu desaparecimento (que lamentamos) do espaço onde se encontrava hasteada (sito no exterior do Estádio junto à via publica), sendo que nos prontificamos a liquidar todos os custos inerentes à sua substituição, o que foi prontamente recusado pelo representante do CD das Aves. A uma actuação digna dos responsáveis do nosso Clube correspondeu uma atitude lamentável que poderá ser facilmente comprovada pelo relatório dos Delegados da Liga Portugal.

Por tudo isto, o FC Paços de Ferreira agirá em conformidade junto das entidades competentes para o apuramento das (ir)responsabilidades de todos quantos agiram da forma descrita."